EUA tem milhões de hectares a serem plantados e chuvas continuam chegando

Publicado em 31/05/2019 16:55 e atualizado em 02/06/2019 09:29
24441 exibições

Foto Journey

LOGO nalogo

A foto acima é do Twitter do produtor norte-americano Eric Earl Mondhink, de Montgomery County, em Illinois, e reflete bem seu sentimento e de seus colegas de atividade nos EUA neste momento. Don't Stop Believin é uma música da década de 1980 da banda Journey e quer dizer "não deixe de acreditar". E esse é, de fato, o cenário refletido em quase todas as regiões produtoras dos Estados Unidos neste momento. As chuvas parecem não dar trégua. Encharcados, os solos impedem o avanço - e até mesmo o início, em alguns pontos - dos trabalhos de plantio. 

Até o último dia 26 de maio, o país ainda tinha pouco mais de 40 milhões de hectares (99 milhões de acres) a serem plantados, segundo a especialista internacional Karen Braun, da Reuters. O número é recorde e fica atrás apenas de outros quatro anos: 1995 - 70,1 milhões de acres; 1996 - 58,2 milhões; 2013 - 56,8 milhões e 2011 - 56,5 milhões. 

Ao mesmo tempo, os níveis de umidade do solo nas principais regiões produtoras dos EUA. Nos últimos 30 dias, de Iowa a Illinois até as Planícies do Sul, os acumulados de chuvas foram de 254 a 508 mm no período, segundo explica o meteorologista Kikr Hinz, da BAM Weather. "Isso traz um volume de 127 a 381 mm acima do normal para o período", diz. 

O mapa abaixo ilustra o intervalo. 

Chuvas últimos 30 dias

As temperaturas também não ajudaram e não só o plantio está atrasado, como a germinação da soja e do milho também. E onde aconteceu, também enfrenta problemas. De 1º a 29 de maio, boa parte do Meio-Oeste americano sofreu ainda com temperaturas baixas, atípicas para o período de primavera e que comprometem ainda a emergência das sementes. 

Mapa temperaturas maio

O primeiro arranque nos campos não tem sido bom e, de acordo com especialistas internacionais, esse quadro começará a ser conhecido em detalhes quando o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxer, em seu reporte semanal de acompanhamento de safras, os primeiros índices de condições das lavouras. 

De Mattoon, em Illinois, o brasileiro Luís Eduardo Gerkhe, que está atuando em uma propriedade local envia um vídeo mostrando a dificuldade da soja em germinar por conta do excesso de umidade no solo. 
"Essa é uma soja plantada há 7 dias (22 de maio) e vemos algumas plantas emergindo, outras sufocadas, sem ar para germinar (...) A soja que está plantada não está vindo em boa condição. Na minha opinião, será um ano bem complicado aqui em Illinois, nos EUA", diz. 

Clique para ver o vídeo

Na imagem seguinte, também de Karen Braun, as plantas de soja germinando no sul de Minnesota após serem plantadas em 14 de maio. "A soja finalmente emergiu", diz.

Soja Minnesota - Karen Braun

A especialista publicou ainda fotos de campos de milho no leste de Iowa. "O milho precisa desesperadamente de calor e sol, e os estandes estão irregulares", relata Karen. "E está chovendo a cada dois dias há algum tempo. Ainda assim, o produtor acredita que pode ter rendimentos acima da média neste campo", completa. 

Milho Iowa - Karen BraunMilho Iowa - Karen Braun

Milho Iowa - Karen BraunMilho Iowa - Karen Braun

Clique para ampliar as imagens

Em Indiana, em entrevista ao portal local Star Press, o produtor de Delaware County, Joe Russel, afirma nunca ter vivido algo semelhante em 44 anos de atividade. Russel ainda não conseguiu plantar nada de sua soja ou milho. 

"O solo está muito molhado para se fazer qualquer coisa. Estamos sendo 'agredidos' tanto pela quantiadade, quanto pela frequência das chuvas. Saturados dessa maneira, os solos demoram de quatro a cinco dias para secar um pouco, mas mais chuvas chegam antes disso, antes mesmo de se poder entrar no campo. Então, o atraso continua", lamenta. 

A matéria do Star Press lembra ainda que não se tratam de desafios limitados somente ao milho e á soja. "São revendas de insumos agrícolas, empresas de sementes, revendas de fertilizantes, empresas de máquinas e implementos, exportações, plantas de produção de etanol, os preços das hortaliças. Os impactos do mal tempo são generalizados. 

Chuvas Leste Illinois- Chad E. Colby

A foto mostra localidades no leste de Illinois - coletada no Twitter de Chad E. Colby - mostrando a extensão do excesso de chuvas. 

As imagens abaixo mostram recentes inundações em Waverly, no Missouri, município nas proximidades de rios importantes. 

Enchentes no MissouriEnchentes no Missouri

Clique para ampliar as imagens

PREVISÃO DO TEMPO

Pela frente? Mais chuvas são esperadas. Os próximos sete dias, de acordo com a previsão atualizada nesta sexta-feira (31) pela DTN The Progressive Farmer, ainda traz um padrão muito úmido para o Meio-Oeste americano. As Planícies do Sul poderão ser as mais afetadas. 

DTN chuvas 7 dias

"Mais enchentes são esperadas, danos ao trigo e perda de área", alerta o meteorologista do portal internacional. "O leste do Meio-Oeste deverá registrar de moderados a elevados acumulados de chuvas. No Oeste da região, volumes menores", diz. 

Em uma previsão mais alongada, até 16 de junho, os mapas seguem mostrando a continuidade das precipitações. Mais de 25 a 50 mm são previstos ainda para as Dakotas, Minnesota, Iowa, Illinois, Missouri. As informações também partem da BAM Weather. 

Chuvas 11 a 16 dias

DATAS X PLANTIO

Enquanto as chuvas não dão trégua, as janelas de plantio ficam cada vez mais estreitas no cinturão de produção norte-americano. Para o milho, o tempo está praticamente esgotado, como mostra o mapa do especialista Kevin Van Trump. 

Mapa datas milho

"Com exceção de Illinois, Indiana e Ohio, hoje foi o último dia ára o plantio do milho na maior parte dos estados. E somente nestes três, de acordo com o último relatório de acompanhamento de safras do USDA de 28 de maio, ainda há cerca de 5,6 milhões de hectares (14 milhões de acres) ainda a serem semeados. Será interessante observar o avanço na próxima semana", diz. 

Em todo o país, faltam ainda quase 15,74 milhões de hectares (39.792,640 milhões de acres) de milho para serem plantados. 

Gráficos Soja e Milho plantio

Para a soja, que começa a ser semeada mais tarde nos EUA, ainda faltam mais de 24 milhões de hectares (60.078,070 milhões de acres). 

Gráficos Soja e Milho plantio

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

2 comentários

  • aires dal agnol Rondonópolis - MT

    Sou produtor em Paranatinga,e vendo a situação que os produtores americanos estão passando nesse momento com excesso de umidade, digo que é uma coisa triste para quem é produtor. Lembrei de um plantio em que peguei 600 mm no mês, e me desesperei,... não tive inundação, mas houve perda significativa na propriedade, a soja não enraizou, e em janeiro, a soja sem raiz profunda teve perda grande. Entao me solidarizo com a situação dos americanos, pois é realmente muito triste.

    2
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      Sr. Aires, além de concordar com seu posicionamento e opinião, acrescento ... Para que possamos ter melhores preços dos nossos produtos , precisamos esperar tragédias no EUA, Argentina e demais países produtores??? Será que é esta a realidade ou é jogo sujo do mercado comprador? Ou serão os nossos empresários brasileiros que jogam conforme seus interesses e lucros comerciais .

      E nós produtores somos valorizados somente na hora do fechamento dos pacotes de insumos que antecedem os plantios?.

      3
  • José Maria Pessoa de Melo Olinda - PE

    USA ESTÁ COMPLICADO, COM CHUVAS EXCESSIVAS. O PREJUÍZO NO AGRO É MUITO GRANDE.

    1
    • marco antonio stahlschmidt Araquari - SC

      Os agricultores dos estados unidos tem, pela sua constituiçao, uma proteçao contra intenpéries, desastres naturais, furacoes, etc.... isso se chama, no bom portugues, ´´cobertor comprido´´, por tanto , os agricultores nao estao nem um pouco preocupados. ja´que a culpa nao e´deles, e sim , do tempo. os agricultores de la´, tem seguros das mais variadas especies. que lhes da´tranquilidade e garantia de continuar na atividade, como nada tivesse acontecido. todo esse prejuizo e´amortizado pelo F E D, ferderal reserve, que tem bilhoes de dolares reservado para esse fim. afinal os estados unidos da america do norte pratica uma agricultura de primeiro mundo. quanto aos preços futuros das ´´comodites´´, nao se preocupem, pois nao vai subir, a manipulaçao da bolsa de chicago, esta´na mao dos especuladores que compram contratos de cereais , que nao existem, apenas no papel. e o resto do mundo , acompanha, pois tudo esta ´atrelado aos preços deles ( chicago). isso, ja´aconteceu, outras vezes. quando se deu uma grande seca, no meio oeste americano, entre 2013 e 2014. nao teve produçao, e os preços no resto do mundo, nao subiram, tudo manipulado por chicago.......

      11
    • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

      O prazo é curto e se o tempo melhorar os americanos vão rolar o milho. A soja vai pra prorrogação.

      4