CNA discute transporte dos produtos agropecuários pelas ferrovias

Publicado em 04/11/2021 09:40 102 exibições

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoveu a live “Ferrovias: por quais trilhos percorrem os produtos agropecuários brasileiros?”, na quarta (3).

O encontro foi moderado pelo diretor técnico adjunto da CNA, Reginaldo Minaré, e contou com a participação do coordenador do Esalq-Log, Thiago Guilherme Péra, e do presidente executivo da Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga (Anut), Luis Henrique Teixeira Baldez.

Minaré destacou a importância do assunto para o Brasil, que tem uma matriz agrícola e um tamanho territorial “gigantesco”. Segundo ele, dos quase 30 mil quilômetros de extensão concedida da malha ferroviária brasileira, 18 mil km estão abandonados ou semiabandonados.

“Não está faltando só investimento. Precisamos de um planejamento de estado, segurança jurídica e investimentos privados e públicos de forma permanente. É um desafio e uma grande oportunidade, pois o agronegócio precisará continuar produzindo, exportando e transportando”, afirmou o diretor técnico adjunto da CNA.

Para Thiago Péra, o setor agropecuário é um dos principais “clientes” da logística, com uma produção que ultrapassa um bilhão de toneladas e um volume de demanda de transporte superior ao volume produzido. Conforme ele, a ferrovia tem um papel importante para a redução de custos, das emissões de gases de efeito estufa e de acidentes nas rodovias.

“O agronegócio é um importante segmento da economia e que tem uma demanda reprimida por infraestrutura gigantesca. As expectativas dão conta de que a nossa produção vai aumentar muito nas próximas décadas e é extremamente importante que a nossa infraestrutura cresça mais do que a nossa produção para termos uma efetiva diversificação da matriz de transporte”, disse.

O presidente executivo da Anut analisou a falta de competitividade da logística brasileira, o novo marco regulatório das ferrovias e o que fazer para melhorar os custos ferroviários.

Entre as proposições da entidade estão a participação efetiva na regulamentação do PLS 261 – que trata sobre o novo marco regulatório de exploração das ferrovias –, a fiscalização dos sistemas tarifários e a cobrança dos órgãos de estado, além de um efetivo combate à abusividade de preços, à adoção de medidas que dificultam a integração da malha e à posturas empresariais que impeçam a concorrência intra e intermodal.

“Precisamos criar uma coalizão de entidades usuárias e trabalhar de braços dados, junto aos concessionários e ao poder concedente, para que isso efetivamente traga o que a gente quer: a redução do custo logístico”, declarou Baldez.

Tags:
Fonte:
CNA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • Merie Coradi Cuiaba - MT

    Que ferrovias? Lucas do Rio Verde é prá ser um entroncamento de 3 ferrovias, a FICO, a Ferrogrão e a Rumo. A FICO está a mais de 600 Km. de Lucas, o presidente da Valec (Zequinha) na presença do Governador Maggi prometeu que o trem apitaria na cidade em 2014 (kkkkkk) a FERROGÃO está embargada pelo ministro Alexandre de Moraes (STF), que deu uma liminar e sentou em cima do processo, esperando agora os agricultores irem pedir de joelhos o julgamento da ação e por ultimo a RUMO, promessa nova de iniciar a construção em 2025. Enfim: só promessas Sra. CNA. É o trem da esperança!!!

    1
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Tamo bem com essa CNA !!!!!

      1
    • Fernando Antônio Molinari Gazola Nova Mutum - MT

      CNA - Cavando na água!! Ou seja, só serve para embolsar as contribuições. De resto, ....

      1
    • Fernando Antônio Molinari Gazola Nova Mutum - MT

      Basta lembrar da antiga presidente da entidade, virou o que mesmo??

      1
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      "AMISSISSIMA DA PRESIDENTA "ESTOCADORA DE VENTO" !!!

      Agora como uma "senadora da república" num de seus comentários torna pública a sua triste realidade: "eu sou capaz de deitar no chão e deixar que pise em cima de mim, pra que tragam vacina"!

      Nessa frase, ela se esqueceu de dizer o REAL motivo de sua ação... Ela se finge de leitoa pra mamar deitado ...

      Daí a afirmação de "deitar no chão" ... ELA SÓ QUER CONTINUAR MAMANDO DEITADA !!!

      0