Perdas na safra de verão preocupam entidades do agro

Publicado em 06/01/2022 11:56 193 exibições
Representantes da FAEP e de outras instituições do setor estiveram reunidos para avaliar os impactos e projetar medidas de ajuda aos produtores

As perdas já contabilizadas nas safras de soja, milho e feijão do Paraná, por conta da severa estiagem, mobilizaram as entidades da agropecuária neste começo de 2022. Na quarta-feira (dia 5), representantes da FAEP, Ocepar, Fetaep, Embrapa, Conab, Secretaria Estadual de Agricultura (Seab), Banco Central, Ministério da Economia e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) estiveram reunidos, de forma virtual, para avaliar os impactos e traçar medidas que possam auxiliar os produtores rurais.

Durante a reunião, conduzida pelo secretário de Política Agrícola do Mapa, Guilherme Bastos, foi discutida a gravidade da situação da seca no Paraná e medidas pontuais que devem ser tomadas futuramente em relação a renegociações dos financiamentos. Ainda, o representante do Mapa comunicou que um grupo de técnicos da instituição vai percorrer, na próxima semana, diversas regiões do Paraná, principalmente as mais atingidas pela crise hídrica, para avaliar as perdas. Ainda, existe a possibilidade da ministra Tereza Cristina visitar o Paraná e o Rio Grande do Sul, outro Estado castigado pela estiagem.

“O Ministério já está realizando conversas com as instituições financeiras e seguradoras para atendimento aos produtores. As renegociações dos financiamentos serão conforme previstas no Manual do Crédito Rural (MCR) para os agricultores que se manifestarem junto aos bancos. Em relação ao seguro rural, o Mapa solicitou às seguradoras agilidade nas perícias”, destacou Jefrey Albers, coordenador do Departamento Técnico e Econômico do Sistema FAEP/SENAR-PR, que participou da reunião. “Nós estamos recebendo muitos relatos do interior e acompanhando a situação de perto. O Sistema FAEP/SENAR-PR está auxiliando os produtores rurais, com orientações, e o Mapa, com informações das perdas, para que as medidas se auxílio sejam tomadas o quanto antes”, reforçou.

Segundo último relatório da Seab, publicado no dia 5, a estimativa é de perda de 37% na cultura da soja na safra 2021/22, reduzindo a projeção inicial de 21 milhões de toneladas para 13 milhões de toneladas. Assim, o prejuízo financeiro deve ser na ordem de R$ 21,5 bilhões.

No milho verão, a previsão parcial de quebra é de 34%, baixando das 4,2 milhões de toneladas para 2,7 milhões de toneladas. Assim, provavelmente os produtores deixem de receber R$ 2 bilhões.

Entre as culturas mais importantes deste período, no feijão de primeira safra, que tem 100% da área plantada e 38% já colhida, a estimativa de colheita é de 107,6 mil toneladas, contra 275.795 toneladas projetadas inicialmente. Em valores, a perda deve superar R$ 429,2 milhões.

Tags:
Fonte:
FAEP

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário