ONU negocia retomada de exportações de grãos da Ucrânia em meio à crise de alimentos

Publicado em 18/05/2022 19:39

Logotipo Reuters

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse nesta quarta-feira estar em "intenso contato" com Rússia, Ucrânia, Turquia, Estados Unidos e União Europeia em um esforço para restaurar a exportação de grãos ucranianos à medida em que piora a crise alimentar global.

"Estou esperançoso, mas ainda há um caminho a percorrer", disse Guterres, que visitou Moscou e Kiev no final do mês passado.

"As complexas implicações de segurança, econômicas e financeiras exigem boa vontade de todos os lados."

Em discurso em uma reunião de segurança alimentar nas Nações Unidas organizada pelo secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, Guterres apelou à Rússia para permitir "a exportação segura de grãos armazenados em portos ucranianos" e para que alimentos e fertilizantes russos "tenham acesso total e irrestrito para os mercados mundiais".

A guerra da Rússia na Ucrânia fez com que os preços globais de grãos, óleos de cozinha, combustível e fertilizantes disparassem, e Guterres alertou que isso irá piorar a crise alimentar, energética e econômica nos países pobres.

"Ela ameaça levar dezenas de milhões de pessoas à insegurança alimentar, seguida de desnutrição e fome, em uma crise que pode durar anos", disse Guterres.

A Ucrânia costumava exportar a maioria de seus produtos por meio de portos marítimos, mas desde a invasão da Rússia em 24 de fevereiro foi forçada a exportar por trem ou por meio de pequenos portos no rio Danúbio.

O chefe de alimentos da ONU, David Beasley, apelou ao presidente russo, Vladimir Putin: "Se você tem coração, por favor, abra esses portos".

Beasley lidera o Programa Mundial de Alimentos, que alimenta cerca de 125 milhões de pessoas e compra 50% de seus grãos da Ucrânia.

Tags:
Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário