UE autoriza cultivo e comércio de batata e milho transgénicos

Publicado em 03/03/2010 08:49 794 exibições

A Comissão Europeia autorizou ontem o cultivo e comercialização de organismos geneticamente modificados na União Europeia. Trata-se da batata amflora e de três novas variedades de milho. Os grupos ambientalistas alertam para os riscos.

A batata amflora poderá ser cultivada para fins industriais e a sua fécula destina-se a rações. Trata-se da primeira autorização de cultivo concedida pela União Europeia em 12 anos. No caso do milho, três novas variedades receberam autorização e podem ser usadas tanto na alimentação humana como animal. Juntam-se às culturas já autorizadas antes e que Bruxelas admite que venham a ser os estados-membros a decidir ou não o cultivo nos respectivos solos.

Curiosamente, esta foi uma das primeiras decisões da nova Comissão liderada por Durão Barroso, que tomou posse há poucas semanas. "É chocante que um dos primeiros actos oficiais da Comissão seja autorizar uma cultura OGM que põe em risco o ambiente e a saúde pública", acusou Marco Contiero, o director da Greenpeace para a política agrícola.

A matéria não é pacífica e esbarra num coro de resistências e preocupações: "Temos defendido que este tipo de cultivo não deveria ser permitido. Desde logo por uma questão de segurança. Não sabemos quais as reais consequências deste tipo de cultivo. Estamos a falar de algo muito recente e o impacto destas coisas vê-se a longo prazo. Os estudos que têm vindo a ser feitos são das próprias empresas que querem comercializar o produto", explica Susana Fonseca, presidente da Quercus.

Por outro lado, acrescentou a responsável da organização ambientalista portuguesa, "há sempre o receio de contaminação de outras culturas". "A cadeia de transporte de sementes pode originar contaminações. Isto pode prejudicar as culturas biológicas", afirmou. Por último, "essas sementes são muito reduzidas. Se houver uma praga, há um grande risco de destruição", explicou aquela responsável.

A Comissão Europeia assegura que as espécies geneticamente modificadas foram analisadas em detalhe. Bruxelas garante que a "Amflora", por exemplo, será colhida antes de produzir sementes, de modo a evitar a sua disseminação. "São decisões tomadas com base em pareceres favoráveis emitidos, durante vários anos, pela Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (AESA)", garantiu o comissário para a Saúde e Defesa do Consumidor, John Dalli.

Tags:
Fonte:
Jornal de Notícias

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Hilário Casonatto Lucas do Rio Verde - MT

    A comissão Europeia no minimo é cinica , pois para comprar e conssumir soja trangenica é proibido , porque eles não produzem nas terrras deles,agora batata e milho eles produzem e liberam a trangenia. PARA OS AMIGOS DO REI ,OS BENEFICIOS , PARA OS INIMIGOS OS RIGORES DA LEI

    0