Mato Grosso descobre jazida com 11,5 bilhões de toneladas de minério

Publicado em 01/09/2010 17:09 1085 exibições
O teor de ferro, de 41%, é inferior ao encontrado nos melhores projetos no Brasil, como Carajás (67%) -Nos trabalhos de pesquisa no Estado também foram identificados reservatórios de potássio de 427 milhões de toneladas.

Trabalhos de prospecção mineral feitos em Mato Grosso identificaram uma jazida de minério de ferro com tamanho estimado em 11,5 bilhões de toneladas, informou o governo do Estado nesta quarta-feira.

A descoberta das reservas de minério foi realizada em meio a pesquisas do governo local com o objetivo de localizar jazidas de potássio e fosfato, já que o Estado é um grande produtor agrícola.

O conteúdo de ferro no minério da jazida é de aproximadamente 41%, informaram membros do governo local durante entrevista coletiva.

Apesar do grande tamanho potencial da jazida, o teor de ferro é inferior ao encontrado nos melhores projetos no Brasil, como o de Carajás, da Vale, que possui 67% de teor de ferro.

A mina de Carajás, considerada a maior a céu aberto no mundo, possui reservas de aproximadamente 3 bilhões de toneladas de minério.

A área onde estão os reservatórios é particular e a empresa mineradora GME4 possui direitos de prospecção do local.

Nos trabalhos de pesquisa no Estado também foram identificados reservatórios de potássio de 427 milhões de toneladas.

Descoberta em MT é importantíssima para reduzir dependência, diz Rossi

Para ministro, jazida de fosfato deve reduzir dependência do País das importações de fertilizantes

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, considerou "importantíssima" a descoberta anunciada nesta quarta-feira, 1º, pelo governo de Mato Grosso de uma jazida de fosfato de 450 milhões de toneladas em Mirassol D'Oeste. "Eu fico feliz, porque uma de nossas prioridades é diminuir essa dependência de importação de fertilizantes", afirmou o ministro, que disse ter sido informado da descoberta pela reportagem da Agência Estado. "Saúdo com muita alegria, mas não tenho mais detalhes", completou.

Cálculos da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) apontam que a descoberta da jazida de fosfato deve reduzir em ao menos 30% o custo do insumo utilizado como fertilizante agrícola. Esse porcentual corresponde ao valor do frete pago no transporte do produto pelo agricultor, já que as 650 mil toneladas de fosfato utilizadas por ano em Mato Grosso vêm de outros Estados ou são importadas de outros países.

Tags:
Fonte:
O Estado de S. Paulo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário