MATO GROSSO: Justiça proíbe reportagens "de cunho negativo" sobre Abicalil

Publicado em 16/09/2010 07:16
175 exibições

Duas liminares concedidas pela Justiça de Mato Grosso impedem o Grupo Gazeta de Comunicação, o maior do Estado, de veicular em um programa de TV e no jornal "A Gazeta" reportagens "de cunho negativo" ou que "indiquem" que o deputado federal Carlos Abicalil (PT), candidato ao Senado, seja a favor do aborto.
As decisões são liminares e estão relacionadas à divulgação, pela campanha de um adversário, de um recurso assinado por 67 congressistas -entre eles Abicalil- para que um projeto de lei que tratava da descriminalização do aborto fosse posto em discussão no plenário.
A assinatura da Abicalil no recurso foi explorada pelo tucano Antero Paes de Barros, candidato ao Senado.
Na Justiça, Abicalil, que se diz contra o aborto, alegou que a cobertura no jornal e na TV "tende" a vinculá-lo a "uma linha de entendimento que não assumiu".
De acordo com Abicalil, sua assinatura cumpriu "uma obrigação estatutária".
"O recurso foi apenas um instrumento para aprofundar o debate", disse.
Uma das liminares estipula multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento.
O diretor executivo da ANJ (Associação Nacional de Jornais), Ricardo Pedreira, disse que não há justificativas para a censura prévia.

Tags:
Fonte: Folha de S. Paulo

Nenhum comentário