Aécio Neves promete engajamento "absoluto" na campanha de Serra

Publicado em 06/10/2010 17:03 e atualizado em 06/10/2010 18:53
328 exibições


Eleito senador por Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB) conseguiu eleger seu sucessor, Antônio Anastasia (PSDB), para o governo estadual e ajudou a eleger outro senador da oposição, o ex-presidente Itamar Franco (PPS). Agora, ele afirma estar absolutamente dedicado à vitória do companheiro José Serra.

Ao chegar nesta quarta-feira para encontro dos partidos de oposição, em Brasília, para mostrar apoio à candidatura presidencial de José Serra (PSDB), ao lado do ex-presidente Itamar Franco, Aécio disse:  Vencemos as eleições em Minas Gerais com larga margem. Agora estamos mais livres e vamos estar absolutamente dedicados à vitória do companheiro José Serra. Não só em Minas, nós estaremos à disposição dele.

O ex-governador mineiro defendeu que a campanha de Serra bata na tecla de que O Brasil somos todos. Não teria governo do presidente Lula se não tivesse havido o governo do presidente Itamar Franco, com o lançamento do Real, e do presidente FHC, que o consolidou, afirmou.

O Brasil não foi descoberto em 2003 pelo atual governo. Foi lá atrás com a redemocratização com o Tancredo [Neves, avô de Aécio]. Vamos ter coragem de ir a todas às praças defender com Serra teremos um governo menos excludente, completou o tucano.

Sobre a estratégia da campanha de Dilma Rousseff (PT) de explorar as privatizações feitas no governo tucano, Aécio Neves ressaltou que é preciso explicar para o brasileiro que foi graças às privatizações das empresas de telecomunicação, por exemplo, que hoje a maioria dos brasileiros tem acesso a telefone celular. Querem falar das privatizações? Vamos falar delas, disse.

Sobre o possível apoio do PV, partido de Marina Silva (PV), dona de cerca de 20% dos votos no primeiro turno, Aécio Neves disse que,  pelo menos em Minas, o PV estará ao lado de Serra. O PV em Minas deverá estar conosco porque participou do nosso governo por oito anos, tem muita afinidade.


Quem manda em Minas

Aécio Neves foi o político mais assediado pela imprensa na chegada do evento de José Serra, em Brasília. (na foto acima, à esquerda dele, Itamar Franco e, à direita, Antonio Anastasia).

Antes de entrar no encontro, no qual chegou com uma hora de atraso, Aécio deu o tom do discurso da oposição:

 *Defendeu as privatizações do governo FHC.

 *Afirmou que, com Serra, o estado brasileiro será mais eficiente.

 Assim como os repórteres, Anastasia e Itamar só ouviram o chefe.

Por Lauro Jardim


Um dos oradores mais aplaudidos no encontro de aliados de José Serra (PSDB), em Brasília, o ex-presidente da República Itamar Franco (PPS), eleito senador por Minas Gerais, disse nesta quarta-feira que a campanha tucana não deve esconder quem quer que seja. Sem citar nomes, ele se referiu à ausência do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na campanha de José Serra (PSDB) à presidência.

Não precisamos ficar escondendo qualquer um que seja do nosso lado. É por isso que tem que haver o confronto, mas o confronto das ideias. O povo quer saber o que nós pensamos. Qual é o nosso pensamento para os problemas estruturais? Qual é o nosso Brasil para esse mundo que vem?, afirmou Itamar Franco, ao criticar postura do presidente Lula de creditar ao seu governo todas as conquistas do País. Ninguém inventou o Brasil, porque daqui a pouco teremos que dizer que quem abriu os portos do Brasil não foi D. João VI, foi o presidente Lula.

Itamar Franco sugeriu a Serra que ouça menos o apelo dos marqueteiros da campanha e que seja ele mesmo. Me permita dizer isso: vossa excelência não precisa tanto dos maqueteiros, porque tem sua vida limpa. Seja mais o senhor do que o marqueteiro, porque vossa excelência tem uma vida limpa, uma vida honesta.

O ex-presidente afirmou ainda que a campanha em Minas Gerais, onde ele e Aécio Neves (PSDB) foram eleitos senadores da República, e Antônio Anastasia (PSDB) venceu a disputa pelo governo estadual, a campanha de Dilma Rousseff (PT) levantou a tese de que os mineiros não poderia eleger senadores da oposição. E a resposta que nós demos foi viril e forte. Nós dizíamos, a partir de Aécio e Anastásia, que em Minas os mineiros escolhem os seus candidatos, disse Itamar, sendo muito aplaudido.

Em discurso, Aécio Neves seguiu a mesma linha do colega mineiro, e afirmou que a campanha petista tentou dividir o Brasil entre os bons e os maus. Essa foi a grande tentativa dos nossos adversários, como se fossem eles os virtuosos, afirmou o ex-governador.

O ex-governador mineiro terminou seu discurso afirmando que está em jogo não apenas a eleição de Serra, mas a democracia e as liberdades individuais. Segundo Aécio Neves, a campanha de Serra precisa vender a idéia, no segundo turno, de que o Brasil somos todos nós.


Tags:
Fonte: Estadão e Veja. com

Nenhum comentário