Dúvida acompanha os plantadores de fumo/RS

Publicado em 21/10/2010 08:23
325 exibições
Esta seria uma das melhores safras para a agricultora Patrícia Naue, se todos os 25 mil pés plantados em sua propriedade não tivessem sido atingidos pelas manchas. No domingo pela manhã, ela constatou que as folhas começaram a ficar amareladas e murchas. Com o passar dos dias, isso vai piorando. O fumo que está pequeno nem vai crescer. Enquanto não é divulgado o resultado do laudo, a dúvida toma conta dos produtores nas localidades atingidas. Não se sabe se o fumo vai morrer ou não. Mas não vai mais ficar a mesma coisa. A perda da qualidade é apenas uma das preocupações de quem depende da fumicultura. Se perdermos, como a gente vai pagar?, questiona.

Responsável pelo cultivo de 70 mil pés de tabaco, Adilson da Silveira Robaldo calcula um prejuízo de R$ 30 mil em sua lavoura. A conta feita entre os agricultores da região soma cerca de 2 milhões de pés prejudicados pelas manchas.

Ontem à noite, produtores se reuniram com representantes da Prefeitura, Emater, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) para discutir possíveis medidas a serem tomadas. No encontro, também foi analisado o número preliminar de perdas e danos causados pelas manchas.
Tags:
Fonte: Gazeta do Sul

Nenhum comentário