Liquidação no mercado de commodities afunda a soja em Chicago

Publicado em 12/11/2010 08:33 e atualizado em 12/11/2010 14:14
1947 exibições
Fortes e generalizadas perdas no mercado de commodities na madrugada desta sexta-feira, associadas à a especulações de um novo aumento de juros na China no final de semana e preocupações com o cenário fiscal europeu (que permanece trazendo suporte ao dólar frente ao euro), provocaram erosão nos preços da soja na CBOT em em outras commodities em várias Bolsas do Mundo. 

Na China vários mercados encerraram em limite de baixa nesta madrugada, com a bolsa de Shangai encerrando com a maior perda diária em um ano. As fortes perdas nos mercados de óleos vegetais contaminou fortemente a soja, commodity que registra as maiores perdas na CBOT. Além das agrícolas, as softs e as energéticas também operam com perdas expressivas.

As cotações da soja no eletrônico encerraram com perdas acima de 30 cents. O vencimento novembro terminou com perdas de 37 cents, com o ultimo preço  abaixo de 13 dólares o bushel (1293,25). -37,00

Banco Central da China anuncia aumento da taxa de juros

O Banco Central da China anunciou que pode aumentar suas taxas de juros dentro de algumas semanas depois que a inflação se acelerou alcançando em outubro o ritmo mais rápido em 25 meses.

A taxa básica de juros de um ano deverá subir de 5,56% para 5,81% segundo analistas ouvidos pela Bloomberg. A taxa de depósito pode subir de 2,5 para 2,75%.

A taxa Shangai Composite Index caiu 2,6. As taxas mais altas poderiam complicar os esforços do governo para limitar os ganhos nos preços de consumo e propriedade, atraindo mais dinheiro para economia que registra o crescimento mais veloz.

"Sabemos que vai haver mais aperto dado a aceleração da inflação e o fato dos preços do mercado interno não terem abaixado. Porém, a notícia repentina e adiantada de que pode haver um aumento da taxa de juros tão cedo quanto realmente assustou os mercados", disse um corretor.

Nesta quinta-feira, o grupo Goldman Sachs afirmou em um relatório que o crescimento chinês se mostrava firme e que o "aperto da política" é necessário.

De acordo com o analista de mercado Ricardo Lorenzet, da XP Agro, a tendência de alta macro das commodities tende a passar por percalços no curto prazo. Os fundos necessitam de algum motivo para realizar e vários deles estão ocorrendo nos últimos dias: políticas mais restritivas na China, retorno das preocupações com o cenário fiscal periferia do Euro, promovendo a valorização do dólar.  "As commodities alimentares permancerão com um cenário favorável, mas neste momento cautela é preciso: estávamos renovando as máximas sobre fatos velhos", explica Lorenzet.

Com informações da Bloomberg e da XP Agro
Tags:
Por: Carla Mendes e Ricardo Lorenzet
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário