Previsão é de rentabilidade para pecuaristas em 2011

Publicado em 24/02/2011 09:06 657 exibições
Grandes criadores no sistema de confinamento em SP já fizeram o planejamento do próximo ciclo de produção.
É muito boa a expectativa de preços para o mercado de boi gordo este ano. No Estado de São Paulo os grandes criadores no sistema de confinamento já fizeram o planejamento do próximo ciclo de produção. Mesmo com o preço dos grãos em alta, a previsão é que a rentabilidade seja boa para os pecuaristas este ano.

O gado do pecuarista Natal Scatolin Neto vai entrar no confinamento em dois meses. Esse é o lote do primeiro ciclo de produção deste ano. O rebanho de cerca de cem cabeças é apenas uma amostra. Já no final do primeiro semestre devem ir pro abate mais de 1.500 animais desta propriedade.

– O primeiro ciclo começa geralmente de abril a maio, depende de São Pedro. É a hora que parar de chover. Aí sai geralmente de julho a agosto. Depois eles entram em agosto e saem em outubro, novembro, dezembro e termina o segundo ciclo – ressalta o pecuarista.

Em geral, no confinamento a ração representa 90% do custo. Na sua fazenda, Natal usou na composição gérmen de trigo, caroço de algodão, polpa cítrica e o bagaço da cana.

– Em 2010 o meu custo de produção foi de R$ 65 por arroba. E a gente vendeu de R$ 95 a R$ 100 a arroba – comenta.

Este período agora é de entressafra na criação do gado em confinamento. Nesta região do Estado de São Paulo, que tem tradição na criação neste sistema, os produtores estão com o planejamento da próxima safra já feito, bem definido. Para este ano, segundo os consultores de mercado, mesmo que o preço da ração fique alto o pecuarista não vai perder em rentabilidade.

– A gente deve ter uma rentabilidade muito favorável, que deve trabalhar aí de 35 a 50% em cima do custo da arroba – afirma Alberto Belentani, consultor de mercado.

Belentani tem 45 pecuaristas como clientes na empresa em que trabalha. O planejamento da safra de engorda já foi feito em dezembro do ano passado, segundo ele. E o cenário positivo, só se confirma a cada dia.

– A gente teve uma crise internacional muito forte que reduziu a demanda de carne. As exportações brasileiras caíram significativamente, mas em contrapartida o mercado interno conseguiu absorver surpreendentemente mais do que a gente esperava (cobrir com carne bovina e rebanho). Então este crescimento do mercado interno aqui tem criado uma estabilidade nesses preços aí, até uma tendência de alta. Estamos muito pressionados com esses preços, o que reforça ainda mais esta posição de cenário positivo para este ano – conclui.

Tags:
Fonte:
Canal Rural

0 comentário