À espera de preços melhores, fumicultores atrasam entrega do produto no Rio Grande do Sul

Publicado em 21/03/2011 08:20 255 exibições
Câmbio desfavorável e alta produtividade da safra são os principais fatores para resultado negativo.
O rigor da indústria na classificação do fumo está provocando atraso na entrega da matéria-prima por parte dos fumicultores do Rio Grande do Sul. Os produtores estão à espera de um preço melhor para repassar o produto, que terminou de ser colhido em fevereiro.

De acordo com a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco, apenas 20% da produção no Sul foi repassada às indústrias até agora. No ano passado, nesse mesmo período, o volume vendido já chegava a 30%. O presidente da Câmara, Romeu Schneider, destaca que o câmbio desfavorável e a alta produtividade da safra, de cerca de duas toneladas por hectare, são os principais fatores para esse resultado negativo. A classificação tem sido usada pela indústria para baixar o preço pago ao produtor.

– Nos últimos 10 anos, as indústrias vinham sendo mais tolerantes na classificação. Como a diferença de preço entre uma classe de tabaco e outra é grande, o produtor é que acaba pagando pela desclassificação – explica Schneider.

Apreensivo, José Armando Kroth, 46 anos, prepara na sua propriedade, no interior de Santa Cruz do Sul (RS), o fumo que deverá ser comercializado a partir desta semana.

– Os produtores estão reclamado bastante. Espero ter um preço melhor, se não terei de reduzir a produção na próxima safra – avalia Kroth.

Tags:
Fonte:
Zero Hora

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário