IGC aumenta de 3 para 10 milhões de toneladas o déficit de grãos para 2011/12

Publicado em 25/04/2011 07:21 e atualizado em 25/04/2011 10:29 731 exibições
O Conselho Internacional de Grãos, composto por representantes de 50 países do Mundo, aumentou o déficit de grãos da safra 2011/12 de 3 para 10 milhões de toneladas e esta foi a causas principal das altas dos últimos dias, inclusive a do início dos pregões das Bolsas desta quarta-feira, antes das quedas leves.  O relatório, divulgado nesta quarta-feira, se baseia em condições “menos do que ideais” de produção na atual temporada, não devendo repor os estoques mundiais que decresceram ao redor de 15,4%. Isto significa que o Brasil poderá se preparar para desembolsar um volume maior de dinheiro para a aquisição da parte que não conseguir produzir para a próxima temporada. Contudo, a atitude das indústrias neste início de 2011 indica que os moinhos não estão dispostos a buscar no exterior a qualquer custo o que lhe falta internamente, porque o consumidor brasileiro não está disposto a pagar o preço, preferindo reduzir o consumo dos subprodutos de trigo, como vem acontecendo nos últimos meses. O resultado foi uma queda no volume as importações, de aproximadamente 36% no primeiro trimestre deste ano. Isto também significa que os triticultores brasileiros terão mais chance de vender a preços melhores, como está acontecendo neste semestre.

Demanda de grãos segue maior que oferta, diz IGC

A produção mundial de grãos deverá aumentar 78 milhões de toneladas nesta temporada na comparação com 2010/11, mas como os estoques estão magros e o consumo também deverá crescer, a tendência é que a relação entre oferta e demanda continue justa no novo ciclo. Essa é a principal conclusão do primeiro relatório do Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) sobre esses fundamentos na safra 2011/12, cuja semeadura ganhará força no Hemisfério Norte em maio.

Conforme a entidade, a produção global de grãos se recuperará dos problemas provocados pelo clima no ciclo passado e chegará a 1,808 bilhão de toneladas em 2011/12, 4,5% mais que em 2010/11. Já o consumo deverá atingir 1,818 bilhão de toneladas, incremento de 1,5%. Apesar da desaceleração do ritmo de aumento do consumo (em 2010/11 a demanda foi 1,7% superior a de 2009/10), o fato de a projeção de demanda permanecer acima da estimativa de oferta deverá levar, conforme o IGC, à nova queda dos estoques de passagem - de 6,7%, para 111 milhões de toneladas.

O levantamento inclui trigo e grãos forrageiros como milho e sorgo, mas não inclui a soja, por exemplo. Segundo o IGC, a produção global de milho chegará a 847 milhões de toneladas em 2011/12, 4,7% mais que em 2010/11, ante um consumo 1,3% maior (854 milhões). A produção de trigo será de 672 milhões de toneladas, alta de 3,4%, e o consumo subirá 1,5% e empatará.

Tags:
Fonte:
Trigo & Farinhas + Valor

0 comentário