Agrishow prevê movimentar mais de R$ 1,2 bilhão este ano

Publicado em 28/04/2011 08:53 185 exibições
A força do agronegócio brasileiro vai levar mais de 700 marcas de 45 países para o interior de São Paulo na próxima semana. Com planos de movimentar mais de R$ 1,2 bilhão em negócios este ano, a principal feira agrícola do Brasil, a Agrishow, prevê um público de 160 mil pessoas de 50 países e desta forma se consolidar como um evento internacional. A organização da feira também já confirmou a presença dos principais ministros da Agricultura do Mercosul. Além disso, o evento, que melhorou toda sua infraestrutura, desde o estacionamento, até a praça de alimentação, deve contar com os primeiros estandes construídos em alvenaria, dado o novo contrato de permanência de trinta anos assinado pela Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo com os organizadores da feira. Sediada na cidade de Ribeirão Preto (SP), a Agrishow acontecerá entre os dias 2 e 6 de maio.

São esperados aproximadamente 160 mil visitantes, ante os 142 mil vistos no ano passado, em uma área de 360 mil m² para exposições e demonstrações de campo, com amostras práticas de novos maquinários e produtos. Aproximadamente 730 marcas serão apresentadas aos visitantes este ano, e mais de 800 demonstrações de campo deverão ocorrer nesta 18ª edição da feira.

Segundo o presidente da Agrishow, Cesário Ramalho, que também ocupa o cargo de presidente da Sociedade Rural Brasileira, um diferencial importante deste ano em relação às edições anteriores está no aprofundamento da estratégia de "setorização regionalizada" da feira. Isso quer dizer que empresas de um mesmo ramo de atividade são colocadas, geograficamente, próximas umas das outras dentro da feira. "Isso facilitará a vida dos expositores e compradores, que encontrarão os produtos que procuram racionalmente numa área pontual da feira. A estratégia de segmentação, foi iniciada no ano passado e agora aprofundada. Esse foi um dos pontos mais elogiados por expositores da edição de 2010", disse.

Ramalho contou que o evento é muito importante para a evolução tecnológica da agropecuária brasileira, dado a concentração de produtos, marcas, equipamentos e tecnologias em um mesmo local. "Muitas marcas esperam um ano inteiro para lançar um novo produto na feira, isso porque a visibilidade da Agrishow é mundial", comentou ele.

Este ano, a feira trará um estande voltado somente aos fertilizantes, a exemplo do que aconteceu no ano passado com os defensivos agrícolas e as cooperativas agrícolas. Ramalho também comentou que até a senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) negociando a criação de um estande de debates, liderado por ela, nos próximos anos. "A senadora já nos sinalizou que pretende instalar um estande , para promover debates e conferências sobre o setor. A Agrishow está no caminho certo, e isso formará toda a cadeia do agronegócio brasileiro. Nós estamos nos tornando o grande centro de debates do agronegócio e o Brasil precisa disso".

Em sua primeira edição, em 1994, a Agrishow, que sempre foi realizada no mesmo local, possuía um contrato de permanência de apenas um ano. Depois de muitos debates, e alguns anos, a Secretaria de Agricultura do Estado ampliou o prazo de permanência para cinco anos. A partir desta edição o tempo de permanência foi estendido para trinta anos, o que gerou investimentos em estandes mais modernos e com melhor infraestrutura. Ramalho destacou o estande da John Deere, construído em alvenaria. "A John Deere investiu para oferecer mais comodidade aos visitantes. O Bradesco também anunciou que pretende construir uma base fixa na feira no próximo ano". Além disso, o organizador confirmou a construção de um galpão exclusivo para debates e palestras já na próxima edição.

Presenças

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, confirmou presença na feira. Além da abertura oficial, Rossi irá recepcionar os ministros da agricultura dos países do Mercosul, convidados pessoalmente em uma recente reunião que aconteceu na Argentina. "O ministro Rossi terá um gabinete na feira, no qual ele fará seus despachos. Ele aproveitará a ocasião para receber os ministros do Mercosul que visitarão a feira. Mas logo depois, ele terá que viajar para outros eventos, e voltará a Brasília para a votação do código ambiental", disse Ramalho.

Ramalho disse que a visita de outros ministros ajudará a fomentar ainda mais a feira no âmbito internacional, e com isso atrair outras empresas e visitantes estrangeiros para o País. "A Agrishow está se consolidando como um evento internacional e representativo sobre a produção rural brasileira, e é uma grande ferramenta para a evolução das tecnologias no campo. A feira é rica em novas tecnologias, é por isso que o produtor precisa comparecer, para fazer contatos".

Tags:
Fonte:
DCI

0 comentário