Vacinação contra febre aftosa começa domingo no Ceará

Publicado em 29/04/2011 07:55 328 exibições
A meta é alcançar, no mínimo, 90% de cobertura. O Estado do Ceará tem 2,4 milhões de cabeças de gado.
Queda da produção leiteira, perda de peso, crescimento retardado, menor eficiência reprodutiva e, claro, prejuízo econômico. Isso nenhum produtor quer. Pois é o que pode acontecer para quem não vacina seu rebanho contra a febre aftosa. A primeira etapa da campanha deste ano começa domingo em todo o Ceará. Porém, ao contrário de anos anteriores, o lançamento oficial será na terça, 3, às 9 horas, na Fazenda Nazaré, em Maranguape.

A vacinação é responsabilidade de cada produtor. A fiscalização é feita pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) e pela Agência do Desenvolvimento Agropecuário (Adagri). A meta é alcançar, no mínimo, 90% de cobertura vacinal. O Ceará tem hoje 2,4 milhões de cabeças de gado nas mãos de 140 mil produtores.

Notificações

Quem não vacinar o seu rebanho na campanha não poderá nem ao menos transitar com o animal na estrada, mas as notificações vão de autuação, advertência, abertura de processo administrativo, multa de 1 UFIR (aproximadamente R$ 12,50) por animal) e retirada do nome de qualquer projeto agropecuário que envolva comercialização de animais. Mas é um apelo à conscientização e cada produtor em se preocupar com a importância da saúde animal.

"Além de prevenir contra a doença, vacinar sai mais barato do que a multa", afirma Ermeline Quirino, médica veterinária e gerente de Epidemiologia e Análise de Risco da Adagri.

A dose da vacina custa, em média, R$ 2,00 e pode ser adquirira nas farmácias veterinárias. Até mesmo o produtor pode fazer a aplicação. De acordo com levantamento da secretaria, 86,6% dos bovinos e bubalinos (búfalos) foram vacinados em 2010. Mas é preciso um mínimo de 90% para o Ceará sair da classificação de risco médio de febre aftosa. E não basta vacinar. Tem que declarar que vacinou. Após comprar o medicamento e vacinar, o produtor tem que levar a nota fiscal, na qual deve constar o CPF do produtor cadastrado na Adagri.

No documento também vem os dados da vacina: laboratório, data de fabricação e validade. As vacinas são normalmente vendidas em embalagens com dez ou 50 doses.

Declaração

Aproximadamente 3,7 mil proprietários de rebanho não declararam a vacinação contra a febre aftosa. Ermeline Quirino esclarece que dentro desde grupo está uma boa parte que vacinou, apenas não fez o procedimento necessário. Basta então encaminhar a declaração para a sede da Adagri ou mesmo para um dos escritórios da Ematerce nos Municípios.

Para o presidente da Adagri, Augusto Júnior, apesar de ser "um número bom", os 86,16% de vacinação devem ser aumentados. Com exceção da Bahia e de Sergipe, os demais estados do Nordeste estão classificados em nível médio de febre aftosa. O Ministério da Agricultura classifica os Estados com base em vários fatores, não apenas o índice de vacinação. É medida até a estrutura dos departamentos de vigilância epidemiológica de cada Estado.

O animal com a doença apresenta diminuição do apetite e elevação da temperatura. Boca, língua, estômago, intestinos e a pele em torno da coroa das unhas são infectados. Provoca aftas na língua, lábios, gengivas e entre os cascos. O animal passa a babar excessivamente e tem dificuldades de se locomover. Se o animal não morre, a febre até pode desaparecer, mas há seguimento de outros sintomas, como a queda na produção de leite e doença nas mamas.

Mobilização

A campanha contra a febre aftosa se dá em dois meses do ano: maio e novembro. E para estar regular no cadastro da Adagri ou da SDA e ter direito à Guia de Trânsito Animal (só com esse documento pode haver transporte de animais pelas rodovias no Estado), o produtor precisa declarar a vacinação nas duas campanhas mais recentes.

"O produtor tem que apresentar duas declarações de campanhas seguidas. Então, quem não declarar em maio, porém declarou em 2010, ainda assim não estará regular até que declare em novembro", explicou a gerente de Epidemiologia e Análise de Risco da Adagri, Ermeline Quirino. A mobilização da campanha inclui a fiscalização da revenda nas farmácias veterinárias do Estado do Ceará, monitorando conservação da vacina e a venda ao produtor.

MAIS INFORMAÇÕES

Agência de Defesa Agropecuária do Ceará (Adagri)
Cidade de Fortaleza
Telefone: (85) 3101.7631

Tags:
Fonte:
Diário do Nordeste

0 comentário