Silos secadores viabilizam maior qualidade aos grãos

Publicado em 05/05/2011 07:50 e atualizado em 06/03/2020 17:38 555 exibições
Os silos secadores de alvenaria já são uma realidade no município de Sinimbu e cada dia mais produtores se interessam pela tecnologia. Para difundir as vantagens da estrutura, a Emater/RS-Ascar e a Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura, promoveram na última sexta-feira um dia de campo sobre o assunto. As atividades começaram às 8h30, na Câmara de Vereadores, e reuniram produtores rurais e alunos da Escola Família Agrícola (Efasc), de Santa Cruz do Sul.

Na primeira parte do evento, o engenheiro agrônomo Ricardo Ramos Martins, do escritório regional da Emater/RS de Estrela, falou aos presentes sobre a aplicabilidade dos silos secadores, especialmente para os grãos de milho – principal demanda dos agricultores de Sinimbu. Durante a palestra, Martins frisou a eficácia do mecanismo na preservação da qualidade do cereal. Além disso, é compatível com a capacidade financeira das famílias.

A maioria dos escritórios da Emater/RS já faz o encaminhamento dos projetos, que podem ser financiados via Pronaf. “O custo médio é de R$ 7,00 por saco armazenado”, explica. A capacidade de armazenagem vai de cem a mil sacos. O agrônomo também esclarece que o governo do Estado estuda a viabilidade de um programa específico para incentivar a construção de silos secadores em solo gaúcho.

Após a abordagem teórica, os participantes se deslocaram à propriedade do agricultor Marcelo Henn, em Linha Inverno, para visitação e prática de manejo em uma unidade construída com capacidade para 350 sacos de milho. Conforme Henn, a estrutura está pronta há dois meses e já estoca o milho colhido na safra do cedo. Os grãos da safrinha também vão ser secos e armazenados no local. Para Henn, os resultados são visíveis. “Não tenho mais problemas com caruncho”, comemora.

Além disso, o produtor explica que a qualidade final é surpreendente. “Até os animais gostam mais do milho”, conta. Anteriormente, a colheita estragava no galpão e o manejo exigia muita mão de obra. Agora, além do uso na alimentação dos suínos e bovinos da propriedade, a ideia também é vender o produto e ter uma renda extra. “É um bom investimento”, garante.

VANTAGEM

Os silos secadores são demandas do escritório da Emater desde 2009. Conforme o técnico agrícola Carlos Corrêa da Rosa, no passado os produtores usavam silos comunitários, mas o transporte dos grãos onerava os custos e interferia na qualidade final do produto. “Surgiu a necessidade de uma tecnologia nas propriedades que minimizasse os danos, facilitasse o trabalho e aumentasse os ganhos”, conta.

A experiência de Venâncio Aires serviu de estímulo para a atividade entre os sinimbuenses. Hoje, são mais de 20 silos secadores construídos no município. “A demanda cresce muito, principalmente devido à necessidade dos produtores.” A estimativa da área plantada com milho na safra e safrinha é de 6 mil hectares. Para Rosa, a facilidade de construção e o baixo custo da estrutura fazem com que vários produtores optem em garantir a correta armazenagem da produção de milho.

Benefícios

Os silos secadores podem funcionar com energia solar ou com ar natural. Nos dois sistemas, a promessa é de muitas vantagens aos produtores rurais, tais como: baixo custo de instalação; baixa potência dos ventiladores; altos fluxos de ar; minimização das perdas que ocorrem no campo; aproveitamento total do produto; facilidade de segregar produtos, certificar origem e rastrear; e garantia de qualidade dos grãos.

Tags:
Fonte:
Gazeta do Sul

0 comentário