CNBB anuncia que vai apoiar abaixo-assinado contra novo Código Florestal

Publicado em 17/06/2011 16:06 e atualizado em 17/06/2011 17:43 1270 exibições
A Igreja Católica poderá mobilizar suas 12 mil paróquias para fazer circular um abaixo-assinado contra o projeto do novo Código Florestal aprovado na Câmara dos Deputados e em tramitação no Senado Federal.

O anúncio foi feito hoje (17) em Brasília pela cúpula da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que pretende criar um fórum com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e um grupo de ex-ministros do Meio Ambiente contrários às mudanças propostas na lei.

O Conselho Permanente da CNBB divulgou nota contra a flexibilização do uso de áreas de preservação permanente (APP) e contra a anistia das multas e penalidades a quem desmatou, estabelecidas no relatório do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

O documento convoca os católicos “a participar do processo de aperfeiçoamento do Código Florestal, mobilizando as forças sociais e promovendo abaixo-assinados contra a devastação”. Segundo a CNBB, as decisões referentes ao código não podem ser motivadas por uma lógica produtivista que não leva em consideração a proteção da natureza, da vida humana e das fontes da vida. "Não temos o direito de subordinar a agenda ambiental à agenda econômica”, diz ainda a nota da CNBB.

No ano passado, a participação da Igreja Católica viabilizou o recolhimento de mais de 1 milhão de assinaturas em favor da Lei da Ficha Limpa aprovada pelo Congresso Nacional. Com a mobilização de agora, a CNBB espera ser ouvida na discussão do novo código. “Não queremos nos furtar a participar da melhoria do texto”, disse aos jornalistas o secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner.

Além de destacar a importância de participar das discussões, o bispo disse esperar que Senado convoque a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) para debater a proposta. No mês passado, a SBPC apresentou ao Congresso Nacional e ao governo federal um estudo preliminar sobre as consequências da mudança do código no aumento do desmatamento.

“Eu espero ser convidada para o debate. Já estamos com a apresentação pronta”, disse à Agência Brasil a presidente da SBPC, a bioquímica Helena Nader.

Ela informou que a presidência do Senado não acatou nenhuma das sugestões encaminhadas pela SBPC em carta, como, por exemplo, a proposta de que a Casa inclua a Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) na discussão do projeto do novo código.

O projeto tramita entre as comissões de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) e de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

A CNBB também divulgou nota sobre a violência na Amazônia, mencionando o assassinato de quatro camponeses, recentemente, nos estados do Pará e de Rondônia, que foi associado a conflitos agrários e ambientalistas.  “As ameaças [aos camponeses mortos]  já eram de conhecimento das autoridades competentes, Infelizmente, pouco foi feito para proteger estas famílias”, diz a nota da CNBB.

Código Florestal não deve seguir 'lógica produtivista', diz CNBB

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota nesta sexta-feira (17) em que afirma que “as decisões sobre o Código Florestal não podem ser motivadas por uma lógica produtivista que não leva em consideração a proteção da natureza, da vida humana e das fontes da vida”.

O Código Florestal foi aprovado na Câmara no fim de maio com alguns pontos polêmicos, como anistia a multas concedidas até 2008 para quem desmatou, caso o produtor participe de programa ambiental, e a emenda 164, que estende aos estados o poder de decidir sobre atividades agropecuárias em áreas de preservação permanente (APPs). O governo foi contra alguns itens do texto-base aprovado e promete batalhar por alterações no Senado, onde o projeto já está em discussão.

Na nota, os bispos manifestaram preocupação tanto com a emenda 164 quanto com anistia a desmatadores. "Não temos o direito de subordnar a agenda ambiental à agenda econômica", diz trecho da nota.

Pressão
Segundo o presidente da CNBB, dom Raymundo Damasceno, a Igreja Católica vai apoiar a coleta de assinaturas nas paróquias de todo o país contra as mudanças no código feitas pela Câmara. “Convocamos nossas comunidades a participarem desse processo de aperfeiçoamento do Código Florestal, mobilizando as forças sociais e promovendo abaixo-assinado contra a devastação."

O secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, disse que os bispos vão participar do debate no Senado. “Gostaríamos de fazer um pouco de pressão”, afirmou. Steiner citou como exemplo de pressão feita pela Igreja a coleta de assinaturas para o projeto de iniciativa popular que deu origem à Lei da Ficha Limpa.

Tags:
Fonte:
Agência Brasil + G1.com

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

21 comentários

  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    Um bom argumento para alimentar a inflação principalmente dos alimentos básicos, é justamente defender as teses ambientalistas em toda a sua plenitude...O novo Côdigo Florestal é o fiel da balança, não contempla nenhum dos lados conflitantes e não cria expectativas inflacionárias...

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Parabéns Nelci Rodrigues Pres. da Assoc. Vale do Garça em Castelo de Sonhos aí na BR-163 no Pará. Não bastasse o lema da Campanha da Fraternidade deste ano, agora a CNBB quer fazer um abaixo assinado em favor dos ambientalóides. Parabéns por "deixar sua cara a tapa" como se diz, expondo inclusive o telefone. Instrua a todos para enviar e-mail para a CNBB nestes endereços: [email protected]; [email protected]; [email protected] e o da Campanha da Fraternidade que é [email protected] e no mais peça a todos os párocos revelarem sua parcimônia na próxima coleta para a festa do padroeiro, o festejo ou quermesse. O Bolso da igreja também é sensivel, sabia? Sobre qualquer coleta uma percentagem vai para a Diocese, a Mitra, a CNBB e o Banco do Vaticano, sabia?

    0
  • nelci rodrigues Castelo dos Sonhos - PA

    represento a associaçao dos produtores rurais vale do garça de castelo de sonhos PA e regiáo da br 163 , ficamos indignados com a atitude da CNBB até porque no interior quem sempre colabora para as festas acontecerem e o produtor doando gado e tudo mais acho que se vierem a confirmar essa ideia maluca perderam a grande maioria dos fiéis Sr, Bispos me desculpem mas voces nao entendem nada de produçao ou de codigos , e sim de cuidar dos fiés que alias estáo perdendo a cada dia por varios motivos e atitudes que prejudicam as pessoas ao invéz de ajudar quem vive sem comer? ou voces tambem acreditam que daqui pra frente se vive 'so de f;e? vou na minha Igreja que frequento esta semana e vou para a leitura avisar a todos do setor produtivo o absurdo que os lideres da nossa igreja estáo querendo fazer , meu nome e Nelci Rodrigues e se for o caso pode me ligar 93-3502-2090

    0
  • Sérgio Basso Primavera do Leste - MT

    Pois é companheiros:Adriano.Victor,Decio e tantos outros acho que já caiu a ficha da CNBB.Ou a mobilização Evangélica de cinco milhões hoje em SP. vai aumentar.

    0
  • Adriano Ribeiro do Val Marques Taubaté - SP

    É realmente lamentável, que a igreja, berço do conhecimento, da escrita, das linguas,se preste debates sobre um código florestal que não deveria nem existir, pois não é baseado em comprovações científicas, mas sim em suposições ambientais, alias o termo ambiental, vem de ambiente e meio ambiente é o meio em que se vive, em uma população maioritariamente urbana deveriamos nos preocupar realmente é no impacto urbano sobre a natureza que supostamente estão as defender nesta lei sem comprovação cientifica. Alias hoje passei pela casa do bispo, e deparei-me com a falta de uma bela árvore, vejam só um pé de Abiu, conhecem, mas deveria estar incomodando alguem, melhor concretar o quintal, provavelmente isso não causará impacto algum na natureza, pelo menos não é motivo de penalidade no famigerado "Código Florestal Brasileiro", fazer o que contra a ignorancia não há argumento, melhor "ir reclamar com o Bispo".

    0
  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    Que fôrça terrivel que vem do Norte, fazendo com que a nossa Igreja se volte contra nós...Os PHDs em política para America Latina de lá, devem estar rindo atoa, pois a semente da ignorância que aqui espalharam, já virou uma árvore frondosa...

    0
  • Decio Barbosa Freire Belo Horizonte - MG

    Peroai-os pai, eles não sabem o que fazem Decio Barbosa

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Igreja reza sem credo é o subtitulo de uma matéria jornalistica escrita na seção "Agricultura Familiar" de um famoso jornal de Brasilia neste domingo. "Em meio a esse contexto mal avaliado, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) decidiu apoiar um abaixo-assinado contra a flexibilização, conforme o Código Florestal reformado, das terras desmatadas antes de julho de 2008 - data de corte do decreto que dispõe sobre as infrações contra áreas de reserva legal (RL) e de preservação permanente (APP). A Igreja reza a missa sem o credo. Desconhece-se se a CNBB está informada de que uma grande parte da AGRICULTURA FAMILIAR, segmento destacado dos movimentos católicos progressistas, produz à margem de rios, encosta e topo de morros, especialmente no Sul e Sudeste. E assim faz há décadas, quando não havia a proibição ambiental. Ela se tornou infratora criminal nos termos do Decreto nº 6.514, de julho de 2008, do presidente Lula. (Padres, acordem!!!)

    0
  • Sérgio Basso Primavera do Leste - MT

    Porque a tal CNBB.não se mobilizou por ocasião dos Mensalões,Cuecões,Merenda escolar,Saúde,Segurança e na Quadrilia instalada no Executiva(como a inprensa tem muito bém mostrado).Acho que devería se preocupar mais com as questões sociais e recolher para suas casas(confortaveis)os maltrapilhos e famintos que já abandonaram o campo e foram para as Cidades. Se mobilizar contra as atrocidades que cometém os MS... por aí afora.Sou Católico por enquanto.Os evangélicos devem estar rindo atoa.

    0
  • Marcelo T hoshino Jataizinho - PR

    Boa noite senhores agricultores, companheiros de luta. Conclamo todos os agricultores católicos a fazerem a mesma "pressão" que o secretário-geral da CNBB Sr Leonardo Steiner quer fazer no Senado, só que contra as paróquias e párocos que querem descaracterizar o Novo Código Florestal aprovado na Câmara dos deputados, protestando e principalmente, cortando os dízimos e doações que pedem primeiramente para os agricultores. Ora senhores, o Brasil nosso é TODO agrícola, e ai daqueles que pensam ao contrário, é só sair dos grandes centros (que são alguns) e cair na imensidão da agricultura e para cada cidade há uma paróquia, e ela, a cidade depende das doações dos agricultores e por uma ignorância dos bispos que integram a CNBB, querem lutar contra os agricultores, portanto vamos fazer pressão também, só que contra esta idéia banal encampada pela CNBB feita por ambientalóides e ONGS internacionais de dizimar a sofrida agricultura brasileira. VAMOS LUTAR, VAMOS AGIR, MOVIMENTE-SE AGRICULTORES BRASILEIROS, PROTESTE CONTRA ESTA IDÉIA DA CNBB NA SUA IGREJA CATÓLICA MAIS PRÓXIMA. EU SOU CATÓLICO, NÂO TENHO VERGONHA, MAS VOU LUTAR PELO DIREITO DOS AGRICULTORES DE PRODUZIR SIM PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE MAS NÃO UTILIZANDO DE CHANTAGEM PARA NOS MASSACRAR COM ABERRAÇÕES IDEOLÓGICAS.

    0
  • claudio heleno cassol santa maria - RS

    dia 18 06 2011 claudio heleno cassol.

    - Sobre o abaixo assinado, assino se for para A EXINÇÃO DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL e de Resto de Todas as Normas, draconianas e ilegais, até o momento criadas, por interesses, apenas C o r p o r a t i v i s t a s. Pois, já exitem NORMAS PENAIS, inseridas, no Código Penal Brasileiro. E, Constituição Federal de 1988. Não, necessidades de engessarmos, o desenvolvimento, sócioeconômico do Brasil. Como estão fazendo, os nossos LEGISLADORES.

    0
  • Claudio Luiz Galvão Cuiabá - MT

    Por essa as igrejas evangélicas não esperavam....vão ganhar mais de 30 milhões de fieis sem precisar fazer força, só na minha familia são mais de 50 membros entre irmãos, sobrinhos e primos, fora os indiretos como cunhados dos cunhados, primos dos primos e ai por diante... vou colar adesivo no carro, caminhão, trator e até na porteira da fazenda " EX CATÓLICO MAS PRODUTOR RURAL COM MUITO ORGULHO"

    0
  • Paulo de Tarso Pereira Gomes Brazópolis - MG

    No meu municipio por ser localizado na serra da mantiqueira, 90 % dos proprietarios rurais estão na ilegalidade, sendo 70 % dos habitantes do municipio agricultores ou fiolhos dependente da produção da terra, lembrando que desse total 90 % são catolicos praticantes e que se assinarem um possivel abaixo assinado estarão dando um tiro no pé e no bucho, passarão fome e terão que mudar para cidades maiores para sobreviverem, então a Igreja catolica vem agindo e nos fazendo cada vez mais crer e Satre que disse que o progresso de uma cidade é inversamente proporcional ao tamanho da torre de sua Igreja principal.

    0
  • José Roberto de Menezes Londrina - PR

    O mundo mudou.. A igreja católica proíbe o perdão e defende a expropriação de terras dos pobres para satisfazer, sonhos e desejos dos filhos de ricos.

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Fiquei rindo sozinho com a saraivada de criticas ao padres, os mais graduados. Eu forneci o link desta noticia para os principais mentores da CNBB. Cito os e-mail's mas antes quero contar que o mundo tem seres humanos dividos em dois grandes grupos: os quantitativos e os verbais. Os primeiros são bons em números, e os segundos, hábeis na fala. É a grande divisão do ensino: Ciencias exatas versus Ciencias humanas, clássico versus científico. Os bons de fala irão tornar-se padres, politicios, advogados, ambientalistas, jornalistas, sociólogos, economistas governamentais e até mesmo pastores e teólogos. Tendem a ser românticos, socialistas e de esquerda, a acreditar na autoridade da palavra e nas soluções de cima para baixo. Os bons em números vão tornar-se engenheiros, agricultores, cientistas, químicos, empresários, contadores e administradores. Tendem a ser pragmáticos, apolíticos e a acreditar nas soluções de baixo para cima. Podem até falar mal ou escreverem pior ainda, mas têm pouca influência política. Via de regra sofrem muito com os hábeis de fala. Seguem os e-mail's da CNBB para quem interessar possa: [email protected]; [email protected]; [email protected] e o da Campanha da Fraternidade que é [email protected]; Aqui em casa também preferimos dar ajuda para entidades tipo APAE, Asilos etc... e não para os padres.

    0
  • Claudio Luiz Galvão Cuiabá - MT

    Vamos ver como vai ficar as igrejas do interior, onde estão a maioria dos catolicos do Brasil, pois nas capitais e grandes cidades a maioria é de evangélicos, e apartir de hoje quero ver um padre vir me pedir uma galinha sequer para ajudar nas festas da igreja.

    vou mandar ele criar vergonha na cara e ir trabalhar, plantar o que qerem comer.

    0
  • Valter Antoniassi Fátima do Sul - MS

    Quando eu tinha oito anos e minha mãe me arrastava para aquelas missas intermináveis,contra minha vontade (eu queria ficar brincando) já passava pela minha cabeça que aquilo tudo era bobagem e hoje vejo que eu estava certo ou seja quem tem este povo por perto não precisa de inimigo...

    0
  • RONI JERI FERREIRA São João - PR

    Temos que lembrar que em todas as paróquias do interior deste Brasil, que não são poucas, são sustentadas quase na totalidade por produtores rurais. Este fazem doação desde dinheiro, alimentos, prendas, bois, suinos, aves, dizimo e muito mais para a manutenção destas paróquias. Vamos deixar virar tudo floresta e ver se a igreja vai se desfazer de seus bens para alimentar estes produtores.

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Vejam o poder dos verdes junto a famigerada CNBB! Eu queria lembrar a CNBB que fez o mesmo abaixo assinado contra a adesão do Brasil a Alca e também foi usada pelos verdes acusando a soja transgênica de semente da morte, quero perguntar para a CNB porque estão qietos com os feijões e alfaces da morte cujo número de mortes é maior do que as consequências do problema nuclear de Fukuschima? Vamos ver como vai se comportar a OAB que foi usada pela igreja contra os transgênicos. Será que a CNB B sabe que existem mais de 1 bilhão de pessoas passando fome no mundo que deveriam merecer atenção do Vaticano e CNBB? Por favor seu Steiner, eu exijo mais respeito com os católicos como eu que defendo que produzimos preservando e apoiamos o novo código florestal. A igreja precisa urgente cumprir sua função que é alimentar nossos expiritos, nossa alma com a energia Divina para que tenhamos força para alimetar suas barrigas com energia alimentar! Se não gostar do que estou escrevendo seu Steiner, se queixe para o Papa que vai mandar o senhor respeitar quem observa Gênesis 1- 28,30.

    Almir Rebelo

    0
  • Petronilha Batista Muzambinho - MG

    Esta na hora de ampliarmos a discussão seria muito importante o noticias agricolas chamar alguem da cnbb para informações sobre o que esta sendo votado, seria importante neste debate ter produtores pequenos ligados as paróquias que ajudam a sustentar a igreja catolica no Brasil, sem agressões mas com argumentos, é preciso fazer a informação valer

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    12 mil Paróquias? Conclamo os agricultores de cada uma das paróquias da igreja católica, para que lembrem aos padres titulares, que VERDE é a nova cor do comunismo. Que as terras da Mitra Diocesana também devem servir à causa ambiental e da reforma agrária. Aos Clérigos não assiste o "santo" pecado da ignorância, portanto dizer que faltou tempo para discutir um Projeto que é de 1999, é uma falácia Senhor Leonardo Ulrich Steiner. Só admitimos um Código Florestal como eles querem, se for de caráter mundial!

    0