Quatro senadores querem agilizar votação do novo Código Florestal

Publicado em 05/07/2011 19:00 752 exibições
Kátia Abreu disse que tema está em debate no Congresso há 15 anos

Em debate nas comissões de Meio Ambiente (CMA) e de Agricultura (CRA), que reúne cientistas para analisar o projeto de reforma do Código Florestal, os senadores Ana Amélia Lemos (PP-RS), Blairo Maggi (PR-MT), Kátia Abreu (sem partido-TO) e Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) disseram considerar que o texto deve ser votado no menor tempo possível. 

Os pesquisadores que participaram da audiência pública defenderam o que sejam feitas mais discussões sobre diversas questões tratadas no projeto e sugeriram a formação de um grupo de cientistas para trabalhar nos próximos seis meses em conjunto com os senadores, para subsidiar as decisões sobre o tema. 

Ana Amélia e Blairo Maggi destacaram o apoio dado pela maioria dos deputados ao projeto, quando da votação da matéria na Câmara (410 votos a favor, 63 contra e uma abstenção). Para eles, o texto em exame no Senado foi amplamente discutido e tem o respaldo de vários setores da sociedade. 

No mesmo sentido, Kátia Abreu disse que o tema está em debate no Congresso há 15 anos. Conforme disse, o interesse dos parlamentares é dar segurança jurídica aos agricultores. Relator do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e na CRA, Luiz Henrique informou que os senadores devem fazer ajustes no texto de forma a ser possível o reexame pela Câmara e a votação final até dezembro. 

Também presente ao debate, o senador João Pedro (PT-AM) disse acreditar que os senadores reúnem informações necessárias para aperfeiçoar o projeto e que as mudanças serão negociadas.  

Área de preservação em cidades preocupa senadores

Preocupação com a definição de regras para as Áreas de Preservação Permanente (APP) em zonas urbanas foi manifestada nesta terça-feira pelos senadores Jorge Viana (PT-AC) e Casildo Maldaner (PMDB-SC), em debate com cientistas nas comissões de Meio Ambiente (CMA) e de Agricultura (CRA) sobre o novo Código Florestal (PLC 30/2011). Eles lembram que a grande maioria da população vive nas cidades, sendo importante que existam regras para a proteção de áreas que oferecem risco de inundações, deslizamentos e outros acidentes climáticos.

Também no debate, o senador Pedro Taques (PDT-MT) ressaltou a importância da contribuição dos pesquisadores na elaboração do novo código. Na opinião do parlamentar, os senadores devem ouvir os cientistas e elaborar um código para os brasileiros, "e não de ambientalista ou de produtores", e que respeite a Constituição. 

Tags:
Fonte:
Ag. Senado

1 comentário

  • Claudio Luiz Galvão Cuiabá - MT

    Este povo teve tempo de sobra, para poder se manifestarem durantes imensa quantidade de audiências públicas, realizadas em todo o Pais, mas acontece que eles não querem é perder as tetas que os financiam, pois se ficar resolvido o código florestal, de uma maneira justa que seja possível ser colocado em pratica

    por todos, este monte de sangue suga vão ter que arrumar trabalho, ou inventar outra história para fazer terrorismo e poderem aparecerem como mocinhos defensores da humanidade..... E será que alguém ai poderia informar ao Pedro Taques que ele foi eleito Senador por Mato Grosso, um Estado que deve tudo aos produtores rurais, ou será que ele acha que vai viver o resto da vida sem precisar se reeleger.

    0