Agência Moodys avisa que os EUA poderão dar calote em suas dívidas

Publicado em 13/07/2011 18:59 354 exibições
MOODY'S COLOCA NOTA AAA DOS EUA EM REVISÃO PARA POTENCIAL REBAIXAMENTO
A agência de classificação de risco Moody's anunciou em um comunicado que colocou em revisão para potencial rebaixamento o rating soberano dos EUA - atualmente em Aaa, a classificação máxima -, citando como motivo a possibilidade de o limite de endividamento do governo federal norte-americano não ser elevado em momento oportuno e, dessa forma, levar o país a declarar a moratória em suas obrigações de dívidas.
A agência informou que também colocou os ratings de instituições financeiras 
diretamente ligadas ao governo dos EUA em revisão para potencial rebaixamento. 
Entre elas, estão a Fannie Mae e a Freddie Mac.
"A revisão no rating dos bônus do governo dos EUA foi provocada pela 
possibilidade de o teto de endividamento não ser elevado a tempo de evitar a 
ausência de pagamento dos juros ou do principal de bônus e notas pendentes. 
Portanto, há um pequeno porém crescente risco de um default de vida curta", disse 
a Moody's.
De acordo com o comunicado, uma moratória dos EUA, independentemente da 
duração, alteraria a avaliação que a Moody's possui sobre a pontualidade nos 
pagamentos futuros relacionados às dívidas do país e impediria que a agência 
mantivesse o rating em Aaa. O texto informa também que, como uma eventual 
moratória seria curta e a perda estimada para os investidores mínima, a redução no 
rating seria para algum lugar perto na faixa de Aa.
A Moody's disse que bônus emitidos pelos governos de Israel e Egito, tendo como 
garantidor o governo dos EUA, também tiveram seus ratings colocados em revisão 
para potencial rebaixamento.


TESOURO/EUA: ALERTA DA MOODY'S É 'LEMBRETE OPORTUNO' AO CONGRESSO
Washington, 13 - O alerta da agência de classificação de risco Moody's sobre um 
potencial rebaixamento no rating dos EUA é um "lembrete oportuno" para o 
Congresso do país elevar o limite de endividamento do governo federal, disse 
Jeffrey Goldstein, subsecretário de finanças domésticas do Departamento do 
Tesouro norte-americano.
"A avaliação da Moody's é um lembrete oportuno da necessidade de o Congresso 
avançar rapidamente para evitar uma moratória nas obrigações do país e chegar a 
um acordo sobre um pacote de redução substancial no déficit", afirmou Goldstein 
em um comunicado. 


Tags:
Fonte:
O Estado de S. Paulo

0 comentário