Bom momento do mercado mineiro de figo estimula produção

Publicado em 14/07/2011 08:42 279 exibições
Os produtores mineiros de figo estão iniciando os preparativos dos pomares para a safra 2011/2012. Na região Sul, onde se concentra o maior volume de produção do fruto no Estado, os agricultores consideram que a colheita prevista para o período entre novembro e abril deverá superar as 5 mil toneladas registradas nas duas últimas safras, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a Superintendência de Política e Economia Agrícola (Spea) da Secretaria da Agricultura, o Estado responde por cerca de 20,4% da produção nacional de figo. Minas fica atrás apenas do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

Segundo o IBGE, o Sul de Minas responde por 95,6% da safra estadual de figo. O município de Virgínia lidera o ranking estadual, com uma safra de 2 mil toneladas registrada em 2010/2011. Em seguida vem São Sebastião do Paraíso, com 1,16 mil toneladas. Marmelópolis, Fortaleza de Minas e Caldas colheram, neste ano, 910, 220 e 100 toneladas respectivamente.

Os preços alcançados atualmente pelo produto no mercado estimulam produtores como Aparecida Reis Nunes de Sá, de São Sebastião do Paraíso. Ela diz que, entre novembro de 2010 e abril deste ano, vendeu o fruto por valores entre R$ 2,00 e R$ 2,20 o quilo. “Essa cotação foi cerca de 80% maior do que a registrada na safra anterior”, acrescenta.

Aparecida acredita que a remuneração pelo produto a partir de novembro deste ano será ainda melhor. Ela e o marido, Vanderlei Martins de Sá, cultivam há 14 anos cerca de dois mil pés de figo no Sítio Recanto dos Beija-Flores. No ano passado, colheram cerca de sete quilos por pé e neste mês vão fazer a poda com a expectativa de aumentar a produção e melhorar a qualidade dos frutos.

O produtor João Paulo Soares, também de São Sebastião do Paraíso, cultiva figo há cerca de 15 anos com a participação do pai e de dois irmãos. Atualmente ele está preparando as figueiras do Sítio Nossa Senhora Aparecida para ter condições de fornecer a seus compradores, depois de novembro, cerca de 80 toneladas de figo de alta qualidade. Segundo o agricultor, o volume é um pouco maior do que o registrado na safra 2010/2011. “Deu certo a estratégia de investir na melhoria da qualidade e garantir um volume de produção que atenda às necessidades também de um grupo de indústrias localizadas fora do município”, comenta Soares.

Soares forneceu figo nos primeiros meses deste ano para indústrias de doces de Poços de Caldas, Caldas, Uberaba e Contagem. Conseguiu uma cotação média de R$ 2,50 por quilo do fruto, sendo o custo de produção por quilo da ordem de R$ 1,30. “Pretendemos continuar fornecendo a essas indústrias e estamos em contato permanente com o escritório local da Emater-MG para aprimorar as práticas de cultivo do figo no sítio. Nosso objetivo é oferecer produtos diferenciados, que possam garantir aumento de renda.”

Tags:
Fonte:
AI Seapa

0 comentário