Soja: Mercado aguarda equilíbrio no relatório do USDA desta quinta-feira

Publicado em 11/08/2011 06:23 443 exibições
Vencimento futuroFechamento US$/bushelVariação Cents/bushelEquivalência em US$/saco, posto ChicagoMáxima US$/bushelMínima US$/bushel
Agosto13,00 3/4+2,0028,6813,00 3/412,98 3/4
Setembro12,95 1/2+2,2528,5613,01 12,90 
Novembro13,01 1/2+1,7528,6913,08 12,94 
Fonte: CBOT/SojaNET 

Comentário

Nesta quarta-feira, as cotações futuras de soja relativas aos três primeiros vencimentos da Bolsa Mercantil de Chicago (CME) fecharam com ganhos insignificantes, conforme a tabela acima. Perspectiva climática de natureza algo ameaçadora (temperaturas mais altas e estiagem) e de prazo mais estendido poderá ocorrer na parte final da próxima semana. Essa previsão e avanços dos preços futuros de commodities tais como o ouro e o petróleo (dentre outros itens energéticos) conferiram algum suporte às cotações futuras da oleaginosa, no início do respectivo pregão.

Entretanto, receios financeiros voltaram a provocar quedas nos mercados de ações de capital em bolsas de valores europeias e isso impactou negativamente o mercado futuro de soja em Chicago, motivando vendas de liquidação de posições compradas especulativas, por volta do meio-dia. Traders buscaram nesta data aliviar posições de risco, tendo sido motivados pela fraqueza das ações de capital de bancos europeus e pelo continuado recuo geral dos mercados acionários norte-americanos.

Traders e analistas em Chicago esperam que o relatório do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) que sairá na manhã de quinta-feira, onze de agosto corrente, venha a reduzir a produtividade média e o tamanho projetados, com respeito à safra nova (2011/2012) norte-americana de soja. Entretanto, esses fatores positivos podem vir a ser anulados por estimativas mais baixas de demanda tanto para a safra velha (2010/2011), como para a safra nova (2011/2012) de soja estadunidense. As expectativas médias são de que o estoque final projetado para a safra nova de soja nos EUA que no relatório de julho havia sido indicado em torno de 4,8 milhões de toneladas (175 milhões debushels) venha a ser reduzido em torno de 135 a 270 mil toneladas (entre 5 e 10 milhões de bushels). Além disso, o estoque mundial inicial da oleaginosa na safra 2011/2012 poderá ser ajustado para um número que representará novo recorde de magnitude.

Cumpre notar que as barras diárias (primeiro e segundo gráficos abaixo) desta quarta-feira nos pregões de soja e de petróleo são barras internas (internal bars ou internal days) que podem estar sinalizando movimentos de alta, no curto prazo.


Gráfico de barras diárias relativas às cotações de soja na Bolsa Mercantil de Chicago (CME), com respeito ao vencimento Agosto/2011, com média móvel de 20 dias e envelope de preços (+- 1 %), na sessão futura de dez de agosto de 2011:

Soja.

Fonte: InsideFutures

Gráfico de barras relativo às cotações de petróleo na Bolsa Mercantil de Nova Iorque (NYMEX), com respeito ao vencimento Setembro/2011, com média móvel de 20 dias e envelope de preços (+- 1 %), na sessão futura de dez de agosto de 2011. A pequena barra circundada em verde corresponde ao início do pregão noturno de 10 para 11 de agosto e deve ser desconsiderada:

Petróleo.
Fonte: InsideFutures


Gráfico de barras referente às cotações do Índice do Dólar (NYBOT/ICE), com respeito ao vencimento Setembro/2011, com média móvel de 20dias e envelope de preços (+- 1 %), na sessão futura de dez de agosto de 2011:

Índice de Soja.
Fonte: InsideFutures

Obs. A desvalorização do Índice do Dólar poderá favorecer a alta de preços futuros de commodities transacionadas na moeda norte-americana. Inversamente, a valorização do Índice do Dólar é frequentemente associada à queda dos preços futuros de tais commodities.

Cordiais saudações,
Antonio Bueno
SojaNet
Tags:
Fonte:
SojaNet

0 comentário