Ribeirinhos de Porto Velho enfrentam problemas com a safra da melancia

Publicado em 15/08/2011 07:49 e atualizado em 15/08/2011 08:28 250 exibições
No distrito de Nazaré, comunidade ribeirinha com pouco mais de 800 habitantes, em Porto Velho, Rondônia, o fim de semana foi de Festa da Melancia. A fruta está presente em tudo, é a base da economia local, junto com o plantio de outros produtos e a pesca. Fresquinha, doce, a atração da festa foi de graça para os visitantes, que não resistiram.

Além do fruto espalhado por toda a vila, barracas expuseram as delícias que podem ser feitas. A Emater ofereceu cursos para que as mulheres da comunidade aprendessem a aproveitar tudo da fruta: licor, geleia, doce feito com a casca e até bolo, que melhoram a renda da família.

O distrito de Nazaré é o maior produtor de melancia da região. Em 2010 foram 1600 unidades, mas este ano a natureza não colaborou e a colheita deve ser bem menor.

A melancia plantada à beira do Rio Madeira e em áreas de várzea que alagam nas cheias tem o período de plantio determinado. Normalmente no mês de maio, os produtores começam a plantar, mas este ano o nível do rio demorou para baixar, o plantio começou com atraso e a produção deve cair em 50%.

Outro fator para a baixa produção é a dificuldade de transporte, feito somente pelo rio. Um barco da prefeitura leva a mercadoria para Porto Velho, mas não é suficiente. Muitos pequenos agricultores do distrito não plantaram melancia em 2001 e explicam que além de tudo, o pessoal que compra a fruta paga o preço que quer, não há valor mínimo estabelecido.

O Secretário de Agricultura de Porto Velho, José Wildes, informou que está pedindo ao governo do estado um aumento na capacidade de transporte, pelo menos na época de safra. Os ribeirinhos torcem para que o ano que vem o transporte melhore e que o Rio Madeira colabore com a comunidade.

Tags:
Fonte:
Globo Rural

0 comentário