Governo compra sementes de cooperativas da agricultura familiar

Publicado em 17/10/2011 07:22 269 exibições
“Este ato reforça o compromisso do Governo Federal com o fortalecimento da agricultura familiar.” Assim o ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, definiu a compra de 53,5 toneladas de sementes de milho de 400 agricultores familiares que integram as cooperativas Coarpa (Santa Catarina), Bionatur (Rio Grande do Sul) e Coofaeco (Paraná). O acordo foi formalizado nesta sexta-feira (14), em Porto Alegre (RS), durante o lançamento do Plano Brasil Sem Miséria no Sul, com a presença da presidenta Dilma Rousseff. As sementes adquiridas da agricultura familiar como parte do Plano Brasil Sem Miséria serão distribuídas para agricultores em situação de extrema pobreza, principalmente indígenas, quilombolas e assentados da reforma agrária. Participaram do lançamento do Plano Brasil Sem Miséria no Sul os governadores do Paraná, Beto Richa; do Rio Grande do Sul, Tarso Genro; e de Santa Catarina, Raimundo Colombo; e representantes das associações de municípios.

Florence lembrou que a presidenta Dilma definiu a agricultura familiar como um dos pilares do plano de erradicação da miséria lançado em junho pelo Governo Federal. “Ampliar o alcance das políticas públicas para este segmento econômico que responde por 74% das pessoas ocupadas no meio rural significa aprofundar um projeto de desenvolvimento que alia crescimento econômico, distribuição de renda, inclusão social e produtiva e segurança alimentar”, reforçou o ministro.

Durante o ato, foi formalizada com associações de supermercados da região e o supermercado Wal-Mart a parceria assinada com a entidade nacional do setor, a Abras. A rede varejista comprará produtos da agricultura e agroindústria familiares, da economia solidária e de comunidades tradicionais, como os quilombolas. “Com esse projeto, todos ganham. Por um lado, aumenta a produção no campo, com produtos de boa qualidade, e os supermercados podem oferecer alimentos diversificados. Por outro, a população tem acesso a mais alimentos, bons e com preços mais baixos”, afirmou a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, que coordena o Plano Brasil Sem Miséria.

A presidenta Dilma Rousseff destacou o papel da agricultura familiar ao saudar Anibela Farias, representante dos agricultores familiares no evento. “A Anibela representa o esforço e dedicação de uma família de agricultores que percebeu que podia fazer mais por si mesma e conseguiu. São exemplos como esse que gostaríamos de ver em todo o País”, enalteceu Dilma. “Há 16 anos trabalho com a lavoura em uma região próxima a Curitiba. Com o incentivo do governo, pude me unir a outros agricultores e conseguimos inserir nosso produto no mercado local”, lembrou Anibela, na abertura da solenidade.

Responsabilidade social

A presidenta destacou a importância da união de Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina ao empenho do Governo Federal pela erradicar a extrema pobreza. “O Brasil já viveu um momento importante de luta pela responsabilidade fiscal e agora viveremos um marco em nossa trajetória com a luta pela responsabilidade social. Só com a união das três esferas de governo poderemos enfrentar esse imenso desafio que é a superação da extrema pobreza e fazer que com ela seja uma página virada em nossa história.”

Com o termo de pactuação firmado nesta sexta-feira com os governos do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina e representantes da associação de municípios da região, o Sul tornou-se a quarta região a se aliar formalmente ao Governo Federal na meta de superação da extrema pobreza. O compromisso já foi assumido por governadores e prefeitos do Nordeste, Sudeste e Norte. O objetivo é retirar da extrema pobreza 716 mil brasileiros que vivem no Sul.

Durante o evento, o Governo Federal e a Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (Cbic) assinaram acordo para desenvolver em conjunto ações de qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho para o público do Brasil Sem Miséria. A parceria envolverá 61 entidades do setor em todo o País.

Inclusão digital

Outra ação lançada no Sul é a inclusão digital. O projeto do governo vai melhorar a conexão da internet em municípios, garantir acesso da população mais pobre aos serviços de comunicação e aprimorar a infraestrutura das prefeituras para identificar e cadastrar famílias, acompanhar as contrapartidas do Bolsa Família e desenvolver trabalho integrado entre telecentros e Centros de Referência de Assistência Social (Cras e Creas). “O governo está determinado a assegurar aos produtores rurais as mesmas condições de acesso às informações que têm hoje as grandes cidades. Vamos levar a todos os cantos do País nossos projetos de inclusão digital. É o reconhecimento da importância da modernidade e dos avanços tecnológicos que obtivemos nos últimos anos”, afirmou Dilma Rousseff.

Na solenidade, a presidenta sancionou a lei que cria o Bolsa Verde, lançado em setembro em Manaus (AM), estabelece novas regras para o Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA) e implanta o fomento de R$ 2,4 mil para agricultores de baixa renda com o objetivo de apoiar da produção e comercialização da produção. O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) assinou com o governo do Rio Grande do Sul convênio para construir 3,4 mil cisternas para armazenamento de água das chuvas, com investimentos da ordem de R$ 7,8 milhões. Os reservatórios contemplarão famílias de 13 municípios que todos os anos sofrem longo período de estiagem.

Tags:
Fonte:
Min. do Desenvolvimento Agrário

0 comentário