Algodão: falta de chuva é principal fator para queda da produtividade em MT

Publicado em 17/09/2010 15:05
543 exibições
O principal fator para a queda na produtividade da safra 2009/2010 do algodão em Mato Grosso foi a estiagem acentuada no final de março e durante o mês de abril. É o que avaliou o presidente da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Gilson Ferrúcio Pinesso. Quando tudo indicava que seria maravilhoso, fomos surpreendidos com a falta de chuvas, apontou.

Nas contas dele, de acordo com os dados apontados pela Ampa, a quebra deve atingir entre 22% e 25% da produtividade de algodão. Apesar desse resultado, Pinesso disse que o setor, em parte, está sendo compensado com a reação dos preços no mercado. A arroba de 15 quilos que seria vendida em torno de R$ 42 e 45 está sendo comercializada a R$ 70. Isso anima os cotonicultores e dá, pelo menos, para equilibrar os prejuízos.

O presidente da Ampa acredita que a próxima safra (2010/2011) terá aumento expressivo de área plantada e, consequentemente, de produção. Mas tudo dependerá das chuvas. Segundo ele, o termômetro para uma colheita favorável será a chegada de chuvas no final de setembro, quando inicia o plantio de soja. Nossa expectativa é plantar soja mais cedo para em seguida plantar algodão na segunda safra, que é onde começamos a contabilizar a nossa maior escala de produção.

O presidente acredita, com base nos levantamentos da Ampa, que os cotonicultores de Mato Grosso irão plantar no mínimo entre 500 e 530 mil hectares de algodão na próxima safra. Na safra 2009/2010 foram plantados cerca de 428 mil hectares. Ele confia também que a tecnologia do algodão adensado crescerá na safra 2010/2011. Muitos produtores, depois dos resultados conquistados, irão investir nesse sistema.

Ele informa ainda que nesta safra foram plantados 51.290 hectares. A tendência é de aumentar, uma vez que essa tecnologia, utilizada há anos nos Estados Unidos e Argentina, reduz custo de produção, finalizou.
Tags:
Fonte: Só Notícias

Nenhum comentário