Biodiesel: Segundo Oil World, embarque da Argentina deve ser recorde

Publicado em 12/05/2010 08:25 494 exibições
As exportações de biodiesel da Argentina nos primeiros quatro meses de 2010 devem atingir um novo recorde, com intensas vendas para a Europa, apesar de protestos de produtores europeus do combustível verde sobre disputa injusta, informou ontem a Oil World.

A expectativa do mercado é que se for mantido o ritmo de vendas externas, as exportações poderão chegar a US$ 1,5 bilhão apenas neste ano.

As exportações de biodiesel da Argentina entre janeiro e abril são estimadas pela consultoria em um recorde de 430 mil toneladas, uma alta de 200 mil toneladas em relação ao mesmo período do ano anterior. Do total deste ano, 410 mil a 415 mil toneladas devem ser vendidas para a União Europeia e cerca de 15 mil toneladas para o Peru.

Produtores europeus de biodiesel estão insatisfeitos com o aumento das vendas argentinas para sua região. Esses produtores alegam que elas são mais baratas por conta de taxas especiais para a Argentina.

O país sul-americano começou a mistura obrigatória de biodiesel em combustível fóssil no início de 2010, uma medida que poderia reduzir os volumes de combustível verde disponíveis para exportação.

No entanto isso não aconteceu, disse a Oil World. As exportações argentinas de biodiesel caíram em abril para cerca de 100 mil toneladas, mas ainda estão acima das 87 mil toneladas em abril de 2009.

Os elevados preços para o biodiesel estão encorajando as exportações em vez de vendas de óleo de soja, que é usado na Argentina para produzir o combustível verde, disse a Oil World.

Tanto o Brasil como a Argentina produzem biodiesel a partir da soja. No entanto, segundo analistas de mercado o produto brasileiro chega a ser 70% mais caro que o argentino.

No mês passado, a Argentina começou a vender diesel com adição de 5% de biodiesel a exemplo do que acontece também no Brasil.

Leilão no Brasil

Um novo leilão de biodiesel será realizado no Brasil entre 24 de maio e 4 de junho para negociar a compra de 600 mil metros cúbicos do combustível. As diretrizes da disputa foram publicadas na edição de ontem do Diário Oficial da União (DOU).

O leilão será realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para suprimento do mercado durante o terceiro trimestre deste ano. O leilão terá dois lotes: o primeiro, com 480 mil metros cúbicos, e o segundo, com 120 mil metros cúbicos. A aquisição atenderá a adição obrigatória de 5% no diesel.

Fonte:
DCI

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário