Mapa desmente boatos de embargo da Rússia a frigoríficos brasileiros

Publicado em 24/09/2013 16:22 e atualizado em 25/09/2013 11:26
922 exibições

A assesssoria de imprensa do Ministério da Agricultura não confirmou as informações de que a Rússia teria embargado alguns frigoríficos brasileiros nesta terça-feira (24). "O boato não procede. As autoridades sanitárias russas avisam com antecedência a vinda ao país e não houve qualquer comunicado neste sentido nos últimos dias", disse Carlos Mota, coordenador de imprensa do Mapa. Mota diz ainda que técnicos russos deverão visitar o Brasil somente em outubro. 

Esses boatos, no entanto, segundo Élio Micheloni Júnior, analista de mercado da Gradual Investimentos, poderiam ter exercido alguma influência negativa no mercado futuro do boi, apesar de se tratar do embargo de carne suína e de frango de algumas unidades. No mercado físico, porém, as informações não chegaram a pressionar as cotações. "Nós temos um perfil operacional do Ministério da Agricultura de quinta categoria e toda hora estamos correndo atrás de nos defender de qualquer coisa", lamentou Micheloni. 

A Rússia, em 2013, aumentou os embarques de carne bovina do Brasil em cerca de 13% e hoje responde por 21,42% do volume total embarcado pelo Brasil, segundo informações da analista da mercado da FCStone, Lygia Pimentel. Além disso, o produto brasileiro tem sido também mais vantajoso, uma vez que compete em preço apenas com o Paraguai. A arroba brasileira vale cerca de US$ 49,46 e a paraguaia US$ 46,32. Na Argentina esse preço chega a US$ 53,98 e, no Uruguai, US$ 56,06. 

Assim sendo, a dependência russa da carne brasileira ainda é grande, o que faz com que a possibilidade de de um embargo, ainda segundo, Lygia, fique ainda mais remota. 

Nos links abaixo, confira a íntegra das informações da Lygia Pimentel e a entrevista de Élio Micheloni Junior. 

>> Principais destinos de exportação da carne bovina brasileira, a participação Russa e os boatos de embargo

>> Élio Micheloni - Entrevista sobre o mercado do boi gordo

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário