Demanda por carne bovina deve continuar forte em 2014, afirmam analistas

Publicado em 29/11/2013 11:30 1484 exibições

O ano de 2013 trouxe boas remunerações para os pecuaristas brasileiros e a previsão é de que o cenário positivo se repita em 2014.  É o que afirmam especialistas do setor que participam hoje (29) do Encontro de Analistas realizado pela Scot Consultoria, em São Paulo.

Diversos fatores devem fazer com que a demanda se mantenha acelerada tanto no mercado interno quanto no externo, contribuindo para manter os preços em alta no próximo ano.

No mercado interno, o aumento do consumo de carne bovina é notório, com destaque para a expansão dos restaurantes que servem carne de qualidade em grandes centros como São Paulo. “A renda do brasileiro aumentou nos últimos anos. Independente da forma como isso aconteceu, o fato é que as pessoas não devem deixar de consumir carne. Quem estiver endividado, vai cortar os supérfluos, mas vai manter sua carne”, garante Rogerio Goulart, editor chefe da Carta Pecuária.

Copa do mundo e Eleições

Dois fatores devem impulsionar o consumo no mercado interno: as Eleições e a Copa do Mundo. “Em anos de eleições, costumamos registrar um aumento da demanda, devido aos famosos ‘churrascos eleitorais’. Além disso, teremos a Copa do Mundo aqui no Brasil. Em época de copa, o brasileiro costuma aumentar os churrascos. A previsão é de um aumento mais significativo, já que a copa será aqui e nós receberemos turistas, que irão frequentar as churrascarias”, explica Marcelo Petto, Superintendente Comercial do Agronegócio do Banco Original.

Apesar do atual cenário positivo, a instabilidade da economia brasileira deve ser observada com atenção pelo pecuarista, afirma Alcides Torres, diretor e presidente da Scot Consultoria. “Hoje estamos registrando o pleno emprego no Brasil, mas nosso PIB não é condizente a ele. Temos o aumento no consumo de alimentos, mas precisamos aproveitar este momento, pois acho que isso vai desmontar depois. Não adianta ser muito otimista, precisamos manter o freio de mão puxado”.

Mercado externo

“Nós atingimos nossa meta de exportação e faturamento em 2013”, garantiu Jorge Camardelli, presidente da ABIEC (AssociaçãoBrasileira das Indústrias Exportadoras de Carne. A perspectiva do mercado para a carne bovina brasileira é positiva para 2014.Camardelli confirmou que o Brasil deverá exportar US$ 6,5 bilhões em carne bovina até o final de 2013. A previsão é que em 2014 bata um novo recorde - US$ 8 bi.

Os principais concorrentes do Brasil no setor, que são Estados Unidos e Austrália, estão passando por um momento mais fraco na produção, “Os Estados Unidos devem registrar uma queda de 6% em sua exportação. A Austrália também foi prejudicada pelo clima, e no ano que vem, o país deve segurar mais o gado. Missões russas e chinesas estão se voltando para o Brasil”, explica Fabiano Tito Rosa, Gerente Executivo de Business Intelligence da Minerva Foods.
 

Irã volta ao mercado com apetite

O Irã, que recentemente abriu seu mercado para importações, depois de assinar o acordo nuclear, deve voltar a ser um importante comprador. “Hoje estamos operando com 25 plantas com exportação para o Irã . Em 2014, poderemos voltar a exportar o volume recorde de US$ 800 milhões para aquele país, volume que só foi registrado em 2010”.

O país islâmico está entre os principais mercados para a carne bovina brasileira junto a Rússia, Venezuela, Egito e União Europeia.
 

Tags:
Por:
Fernanda Bellei
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário