Pecuária prioriza produção de bezerros e vende menos fêmeas

Publicado em 16/09/2016 07:23
158 exibições
Por Mauro Zafalon, coluna Vaivém das Commodities

A produção nacional de carnes —incluindo bovinos, suínos e frango— somou 6,2 milhões de toneladas no segundo trimestre deste ano, 4% mais do que em igual período do ano passado.

Preços favoráveis e demanda externa em alta imprimiram um ritmo maior ao setor.

Os dados do IBGE, entidade responsável pela pesquisa de abate, apontam uma mudança na tendência de abates no setor de bovinos.

Pelo terceiro trimestre seguido, há uma queda no abate de fêmeas e aumento no de bois.

Veja mais:

>> IBGE divulga abate bovino do 1º semestre e mostra que ritmo se manteve igual ao de 2015, mesmo com uma oferta menor de animais

Isso ocorre porque a alta da carne incentiva o pecuarista a segurar as vacas para aumentar a produção de bezerros. Em junho, a arroba de boi gordo atingiu R$ 157, em média, 7,5% mais do que no mesmo mês de 2015.

No início de abril último, a arroba atingiu o valor recorde de R$ 159,5, conforme dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

Leia a notícia na íntegra no site Folha de S.Paulo.

Fonte Folha de S.Paulo

Nenhum comentário