Eleição de Trump ameaça entrada de carne argentina nos Estados Unidos, segundo especialista

Publicado em 16/11/2016 09:20
112 exibições

O triunfo de Donald Trump nas eleições americanas "matou" a possibilidade de um avanço no Acordo de Associação Transpacífico (TPP) e, com isso, a Argentina também deve perder a possibilidade de exportar novamente carne bovina ao mercado americano.

A afirmação é de Cullen Hendrix, especialista em comércio internacional do think tank Instituto Peterson de Economia Internacional, em entrevista ao jornal La Nación.

Hendrix ainda advertiu que o efeito da política econômica de Trump será "severo" sobre a Argentina, em termos de encarecimento do financiamento e de acesso aos mercados. Para ele, o acordo do TPP já não deve ser nem ao menos considerado, pois requeriria um "equilíbrio delicado" sob circunstâncias de muita dificuldade.

Ele diz que é "bem possível" que Trump renegocie o Nafta. "O capítulo 22 do Nafta dá aos países participantes o poder de retirar-se do acordo avisando com uma antecedência de seis meses. Neste momento, Trump pode elevar as taxas aos bens do Canadá e do México aos níveis de nações mais favorecidas. Se este aumento for de 35%, como o presidente eleito disse no passado, necessitaria o acordo do Congresso, onde poderá encontrar significativa oposição. De todos os modos, o importante é que Trump terá uma grande liberdade de ação para afetar as relações com os sócios do Nafta", diz.

Em relação à China, ele também diz que é "difícil saber" se haverá uma guerra comercial entre o país asiático e os americanos, lembrando que algumas empresas como Apple e Qualcomm possuem e produtores de automóveis possuem papel fundamental nessa disputa, uma vez que muito de suas produções é dependente do país. Para Hendrix, uma guerra coemcial poderia provocar recessão e custar milhões de empregos em ambos os países, o que afetaria a economia a nível global, já que ambos representam quase 1/3 do Produto Interno Bruto (PIB) mundial.

Com informações do La Nación

Por: Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário