Ritmo dos embarques de carne bovina reduz na terceira semana, mas outubro pode ter recordes nas exportações

Publicado em 21/10/2019 15:09 e atualizado em 21/10/2019 16:38
86 exibições

LOGO nalogo

Nesta segunda-feira (21), a Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) divulgou o volume exportado de carne bovina in natura na terceira semana de outubro. A média diária exportada ficou em 7,74 mil toneladas, na qual os dados vieram abaixo do esperado para o mercado que estava projetando uma média de oito mil toneladas por dia.

Durante os 14 dias úteis do mês, o volume total embarcado foi de 108,4 mil toneladas. De acordo com o levantamento da XP Investimentos, o volume exportado registrou um aumento de 43,9% frente ao mês anterior e 31% se comparado com o volume embarcado em outubro de 2018.

A Radar Investimentos apontou que houve um ligeiro recuo do ritmo dos embarques de carne bovina na terceira semana de out/19. Mesmo assim, caso extrapolássemos a dinâmica até o momento, o consolidado seria um volume recorde mensal. Vale lembrar que estas estimativas devem ter alterações ao longo dos próximos dias.

Dados Mdic carne bovina in natura - Radar Investimentos

Exportações brasileiras de carne bovina in natura, em mil toneladas. Por Radar Investimentos

Até o momento, o valor negociado do produto está ao redor de US$ 476,4 milhões, tendo em vista que esse valor na média por dias úteis está próximo de US$ 34,7 milhões. Em outubro de 2018, o valor comercializado foi de US$ 529,3 milhões e com uma média diária negociada em US$ 24,1 milhões.

As projeções do mercado indicam que o total embarcado poderá ficar entre 178,3 mil e 188,76 mil toneladas. Se essa projeção se confirmar, será o maior volume exportado pelo Brasil em um único mês.

A quantidade embarcada teve um incremento de 31,4% se comparada com o mês anterior. Na comparação anual, a quantidade de carne bovina in natura exportada teve um crescimento de 25,3%.

Os preços médios ficaram próximos de US$ 4.396,1 por tonelada, um aumento de 3,5% se comparado ao mês de setembro que registrou um preço de US$ 4.246,4 por tonelada. Os valores atuais registraram um ganho de 12,9% frente ao mesmo período do ano anterior.

A XP investimentos ainda destacou em seu acompanhando de mercado que o acumulado do ano, janeiro a outubro, ficaria em robustos 1,24 milhões de ton. Importante ressaltar que os últimos 8 anos se encerraram com média de 1,11 MT e, portanto, o volume atual, faltando 2 meses para o final do ano, já estaria acima desta média.

Por: Andressa Simão
Fonte: Radar Investimentos

0 comentário