Vacinação contra aftosa atinge 99,4%, em novembro

Publicado em 06/01/2020 12:11
84 exibições

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) enviou, no dia 27 de dezembro, ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), os dados finais da campanha de vacinação contra febre aftosa relativa à segunda etapa realizada no mês de novembro. O índice chegou a 99,4%, com imunização de 9.698.398 cabeças de bovinos e bubalinos de zero a 24 meses. As informações são do Sistema de Defesa Agropecuária do Estado de Goiás (Sidago), consolidadas pela Agrodefesa.

O presidente da Agrodefesa, José Essado, observa que os resultados são positivos, porque a quase totalidade do rebanho-alvo foi imunizada de forma espontânea pelos pecuaristas, o que demonstra o elevado grau de conscientização dos criadores que estão atentos e comprometidos com a sanidade do rebanho. Os poucos inadimplentes, que não vacinaram ou deixaram de declarar a vacinação, continuam sujeitos às fiscalizações da Agrodefesa, de modo que não fique nenhum animal sem a vacina.

Os produtores que deixaram de vacinar e/ou vacinaram, mas não apresentaram as declarações serão autuados conforme previsto na legislação. O criador inadimplente é multado em R$ 7,00 por cabeça de animal não vacinado e ainda será obrigado a fazer vacinação assistida por técnicos da Agrodefesa. Além disso, os animais da propriedade ficam impedidos de movimentação. Para a vacinação assistida, o produtor deve procurar o escritório local da Agência no município em que fica sua propriedade, onde requer a vacinação e também obtém autorização para compra da vacina, sem a qual a revenda não pode comercializar o produto.

Retirada da vacina
Após 24 anos sem registro de febre aftosa e reconhecimento do status de Estado livre da doença, com vacinação, Goiás caminha agora para a retirada da vacina, buscando o reconhecimento internacional de área livre da aftosa, sem vacinação. Para tanto segue todas as diretrizes do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA) do Ministério da Agricultura, que prevê a suspensão da vacina no segundo semestre de 2021. Isso significa que, em maio daquele ano, todo o rebanho ainda deverá ser imunizado, suspendendo-se a aplicação na etapa de novembro e nos anos seguintes.

O PNEFA estabelece uma série de ações que se estendem de 2017 até 2026. Em Goiás, elas foram iniciadas ainda em 2017, quando da publicação do plano. O 1° Fórum Goiás Livre de Febre Aftosa, ocorrido no dia 10 de maio de 2019, foi uma das ações realizadas pelo Grupo Gestor do PNEFA em Goiás, previsto no documento. O principal objetivo foi apresentar e discutir as ações definidas no plano e principalmente promover a conscientização das entidades e lideranças do segmento pecuário para a retirada da vacina e suas consequências. Além disso, os integrantes do Grupo Gestor do PNEFA e especialmente os técnicos do Serviço Veterinário Oficial têm participado de cursos, oficinas, treinamentos e outros eventos preparativos para a retirada da vacina.

Tags:
Fonte: Secretaria Agricultura/GO

0 comentário