Pernambuco livre da aftosa

Publicado em 21/09/2010 08:39
332 exibições
Pernambuco e outros seis estados da Região Nordeste estão muito próximos de serem decretados livres da aftosa. Depois de treze anos de embargo aos rebanhos de bovinos, caprinos, ovinos, bubalinos e suínos, o Ministério da Agricultura vai iniciar ainda em setembro o processo para validação de área livre de aftosa. A decretação vai dar novo fôlego à criação de animais, afetada diretamente pela proibição de circulação de animais e de material genético.

"O Nordeste deixará de ficar ilhado para os criadores, que hoje perdem muito por não poderem comercializar para fora da região e também ficaram impedidos de realizar melhoramento genético", explica Erivânia Camelo, gerente-geral da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro).

Ela detalha que dos derivados dos animais hoje só podem sair do estado se forem pasteurizados, no caso dos derivados de leite. Já as carnes, não podem sair. Além da melhoria genética, a decretação de árealivre de aftosa deve influenciar positivamente principalmente a exportação de caprinos.

O processo é lento e terá resultado a médio prazo. A meta é cumprir todas as etapas para a decretação no território nacional, a fim de levar o resultado para a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, sigla em inglês), que se reúne uma vez por ano, no mês de maio. Inicialmente, a meta era que a documentação estivesse pronta para a reunião de maio de 2011, mas o processo será mais demorado e só deve ficar pronto para 2012.

"A ansiedade dos criadores é muito grande, principalmente para os produtores que trabalham com melhoria genética em bovinos. Pernambuco já foi exportador de material genético e está há mais de dez anos ilhado", constata o presidente da Associação de Criadores de Animais, Manassés Rodrigues.

A proibição de circulação de animais tem impacto também em feiras, já que os criadores de outros estados livres da doença não têm interesse de trazê-los, pois por segurança, precisam manter os exemplares durante 30 dias no estado, em observação.

Estão na mesma situação que Pernambuco os estados de Alagoas, Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí, Maranhão e parte do Pará, na região Norte. "Para os criadores de caprinos e ovinos, o grande passo será poder fornecer carne para o restante do país", completa Manassés Rodrigues.

Segundo o IBGE, em 2008 Pernambuco tinha 2,2 milhões de cabeças de bovinos; 1,7 milhão de caprinos; 1,3 milhão de ovinos; 509 mil de suínos e 19,5 mil de bubalinos. De acordo com Erivânia Camelo, os exames serão feitos ainda este ano, para que a região cumpra os prazos. A febre aftosa é uma doença viral, contagiosa, que afeta todos os animais que possuem cascos fendidos (separados em duas partes). A doença afeta a produtividade, especialmente a produção de leite, causando dificuldade para pastar e se locomover. No Brasil, 90% dos rebanhos estão localizados em áreas livres de febre aftosa.
Tags:
Fonte: Diário de Pernambuco

Nenhum comentário