RS pode prorrogar vacinação do rebanho

Publicado em 29/11/2010 06:38 267 exibições
O atraso na entrega de vacinas poderá motivar a prorrogação da segunda etapa de imunização contra a aftosa no Rio Grande do Sul, que abrange bovinos e bubalinos de até 24 meses. Segundo o chefe do Serviço de Doenças Vesiculares da Secretaria da Agricultura (Seappa), Fernando Gröff, houve problemas de logística tanto na entrega das doses destinadas a agricultores do Pronaf como nas vendidas nas agropecuárias, o que impactou na chegada do medicamento ao campo. A medida será avaliada pela Seappa hoje, que definirá se encaminha ou não o pedido ao Ministério da Agricultura. "Isso não ocorreu em todo o Estado e não é a maioria dos municípios que está nesta situação", explica Gröff.

Nas doses distribuídas gratuitamente, o atraso está relacionado à mudança na embalagem dos frascos que passou a contar com dez unidades, e não mais com 50 como era até então. "Pedimos às indústrias que fosse assim porque é mais fácil de entregar e manter as doses em condições de uso, já que algumas propriedades têm poucos animais." A ampliação na compra das doses aos enquadrados do Pronaf também influenciou, já que foram necessárias mais 600 mil. "Houve aumento no rebanho jovem. Chegaremos a 14,3 milhões de animais este ano." Normalmente, o RS destina 5 milhões de doses ao Pronaf, sendo 4 milhões na primeira etapa e o restante, na segunda. Neste ano, foram 4,5 milhões de doses na primeira e 1,1 milhão na segunda.

Nas agropecuárias, a dificuldade ocorreu naquelas que estavam sem estoque. O Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) afirma desconhecer problemas na entrega do medicamento.

Tags:
Fonte:
Correio do Povo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário