Boi teve preços mais altos e demanda muito intensa

Publicado em 07/11/2011 09:40 586 exibições
*Boletim semanal elaborado por Safras & Mercado para Sistema Faep
O mercado brasileiro de boi gordo teve uma semana com preços mais altos em diversas praças do país. Conforme o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a sazonalidade inerente ao período de virada de mês interfere no andamento dos negócios. "A tendência clara é por continuidade deste movimento até o final do ano, levando em consideração a demanda sazonal muito intensa que se abate sobre o mercado durante o período de festividades", observou.

A restrição de oferta também pesa para o movimento de alta. Levando em conta que a oferta de confinados está declinando ao longo dos últimos dias. Para complicar ainda mais a situação, a tendência é que o boi gordo de pastagem esteja apto para o abate de maneira tardia. "Possivelmente durante a virada de mês entre os meses de novembro e dezembro, já ocorra uma maior oferta", informou Iglesias.

Com o acordo firmado no bloco do euro, um grande otimismo se abateu sobre o mercado financeiro, proporcionando a desvalorização do dólar frente às demais moedas, incluindo o real.
As oscilações prejudicam as exportações de carne bovina, tendo em vista que essas oscilações cambiais incorrem em incertezas para o exportador.

As escalas média de abates em São Paulo encontram- se de um a quatro dias. Por essa razão, os preços por arroba registram elevação, em nível moderado. A tendência, porém, é de enxugamento da oferta, com tendência de alta nos preços da arroba. Entretanto a demanda tanto por parte do atacadista como pelo consumidor, e também pelo volume de exportação poderá determinar o preço da arroba para os próximos dias. O momento atual, em razão do aumento da demanda no mercado interno, sinaliza pressão altista por parte do pecuarista.

O mercado atacadista também vem apresentando poucas ofertas, decorrentes da diminuição dos abates, registrando aumento geral de preços. Volume de vendas considerado bom, que, de certa forma, confirma a previsão de aquecimento das vendas em razão do pagamento do salário e consumidor com mais dinheiro para as compras.

Dessa forma, com escassez do produto em razão das curtas escalas de abate da industria, a tendência é de mercado aquecido e de alta. Pode-se dizer que a fase é boa para o setor de carne bovina. As informações partem do boletim semanal divulgado pelo SINDIFRIO.

A média semanal de preços em São Paulo foi de R$ 99,00 a arroba, livre, a prazo. Em Mato Grosso do Sul, preço em R$95,33 a arroba, livre, a prazo. Em Minas Gerais, a arroba foi cotada em R$ 93,50, livre, a prazo. Em Goiás, a arroba foi cotada em R$ 92,00 livre, a prazo. Em Mato Grosso, preço a R$89,16, livre, a prazo.

No atacado, a média de preços semanal foi de R$ 4,80 o dianteiro e R$ 8,20 o traseiro.

Tags:
Fonte:
Faep

0 comentário