Novas possibilidades para o café: Encontro de Produtoras da Cooxupé apresenta cenário macroeconômico e práticas sustentáveis

Publicado em 28/03/2012 07:31 545 exibições
A Cooxupé, maior cooperativa de café do mundo, acompanhando as mudanças do setor, entre elas o crescimento da atuação feminina no campo, reuniu nesta segunda-feira, 26 de março, na sede em Guaxupé, sul de Minas Gerais, 191 cooperadas - todas mulheres e à frente de produções de café - para um Encontro de Produtoras. O evento trouxe palestras técnicas, análise de mercado e oportunidades de negócio.

Encontro reúne cerca de 200 cooperadas da Cooxupé que estão à frente de lavouras de café

No ano passado, as produtoras ligadas à cooperativa – elas representam cerca de 10% do número de cooperados - entregaram mais de 230 mil sacas do produto – aproximadamente 7% do volume total de café recebido pela Cooxupé -, movimentando R$ 4,16 milhões. Para a conselheira Administrativa da cooperativa e produtora de café, Maria Liney Costa Fleury, a atuação feminina no campo traz um equilíbrio para os negócios. “Com sutileza, a mulher se posiciona neste mercado trazendo eficiência e profissionalismo para uma produção cada vez mais sustentável. Sabemos o que nos custa colocar cada saca de café na pilha e é com paixão e otimismo que levamos e ampliamos o nosso negócio. Temos orgulho de ser produtoras de café”, avalia.

Liney, do Conselho Administrativo da Cooxupé, falou da importante atuação da mulher no campo

Economia - previsão de 3,7% de crescimento

Com uma palestra didática e coloquial, a economista do Bradesco Ellen Regina Steter trouxe para as produtoras um cenário futuro da economia. Ellen explicou às cooperadas as oscilações do mercado, crise europeia e encaixou as expectativas do setor cafeeiro para 2012, com base na previsão de crescimento na economia brasileira de 3,7%, em relação à 2011. “Nosso objetivo foi transmitir o cenário macroeconômico para as produtoras e auxiliá-las na tomada de decisão para os próximos meses”.

Dia a dia da lavoura

O uso corretos da EPI (Equipamento de Proteção Individual), adequação das propriedades rurais com fossas sépticas e limpeza das fazendas, além dos locais adequados para guardar produtos fitossanitários, foram temas de uma palestra ministrada por agrônomas e técnicas da cooperativa. Para Denise Andreia de Oliveira, engenheira agrônoma da região de Alpinópolis, o treinamento é um importante aliado das cooperadas. “Tivemos uma participação intensa do público, porque são questões importantes e que fazem parte do trabalho no campo. Nosso objetivo foi promover a conscientização sustentável das cooperadas e mostrar que a Cooxupé está à disposição para eventuais dúvidas”, conta.

A cooperativa possui 149 profissionais, entre técnicos agrícolas e engenheiros agrônomos, para dar assistência gratuita ao cooperado.

O direito da mulher no campo

Josiane Cotrim, da IWCA, conheceu a estrutura da Cooxupé e palestrou sobre as possibilidades de novos negócios

Uma das presenças marcantes do Encontro de Produtoras realizado pela Cooxupé foi de Josiane Cotrim, da Aliança Internacional das Mulheres (IWCA), que pretende alavancar o trabalho feminino no setor, da produção do grão até a xícara. “Depois do Petróleo, o café é a segunda maior commodity do mundo. Com a Aliança, pretendemos fortalecer o trabalho da mulher que atua na lavoura no Brasil e no exterior, mostrando as diversas possibilidades deste mercado”.

Para Cotrim, as mulheres devem atuar junto aos homens, trazendo novas oportunidades para o negócio. “Sozinhas não somos ninguém. Temos um importante produto nas mãos com possibilidades diversas de gerar economia e, a Aliança, pretende fortalecer isso, trazendo novas ideias para as produtoras”.

Tags:
Fonte:
AI Cooxupé

0 comentário