Café: Instabilidade da demanda deve trazer volatilidade ao mercado internacional

Publicado em 16/10/2012 12:47 715 exibições
Exportações de café arábica registram queda de 22% em relação ao ano passado
A volatilidade permanece no mercado internacional do café,  e após as fortes altas registradas no início de outubro na Bolsa de Nova York, as cotações do grão recuaram durante o pregão de desta segunda-feira (15). O contrato dezembro/12 encerrou a 160,00 cents de dólar por libra peso. Já nesta terça-feira (16), os principais vencimentos da commodity operavam em território positivo, com os preços registrando leves ganhos. 

De acordo com o operador de mesa da Terra Investimentos, Roberto da Costa Lima, nos próximos dias as cotações no mercado serão determinadas pelo clima e a recente baixa vista nos últimos dias se deu por conta das chuvas que influenciaram a abertura das floradas nas regiões produtoras brasileiras. 

“Houve uma retração da oferta devido às quedas registradas recentemente. Vínhamos de níveis de preços mais altos com volume grande de físico. Mas caso esse recuo persista e haja falta de chuvas o mercado pode voltar aos níveis anteriores negociados há duas semanas”, explicou Lima.

Além disso, existe uma “queda de braço” entre os importadores e exportadores, o que consequentemente dificulta as comercializações. Os cafeicultores brasileiros se recusam a vender com as cotações do grão abaixo de R$ 400,00. Segundo o analista de mercado, Eduardo Carvalhaes, os cafeicultores estão vendendo com critério. “Os produtores estão bem financiados, mas em setembro o Brasil exportou cerca de 2,200 milhões de sacas de café, e consumiu 1,600 milhões de sacas, o que mostra que os volumes estão saindo”, afirmou. 

O Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (CECAFÉ) divulgou que os embarques brasileiros do grão no mês passado alcançaram 2,22 milhões de sacas, uma redução de 24% em comparação com o mesmo período de 2011. O percentual também é 14,3% menor em relação ao mês de agosto. Ao todo foram 2,22 milhões de sacas de café embarcadas, 1.862.254 milhões de sacas de café arábica e 80.039 sacas de café tipo conillon. E mais 277.388 sacas de solúvel e 3.118 sacas de torrado. 

O maior recuo aconteceu nas exportações do café conillon, cerca de 36% a menos em comparação a setembro do ano passado e 35% menos ante agosto deste ano. O tipo arábica registrou uma queda de 22% em relação a setembro de 2011 e 8% em relação a agosto de 2012. 

Ainda de acordo com Lima, apesar das quedas nos embarques, há uma perspectiva de aumento da demanda, haja vista que o consumo cresce com as baixas temperaturas. E independente da crise na Europa ou não, a demanda deve ser afetada. “O crescimento da demanda deve ser vegetativo, e o que houve é que embarcamos menos esse ano, mas acreditamos que haja uma reação ainda no final de 2012. Já a demanda deve continuar e o foco do mercado será o clima”, reiterou o analista.
Tags:
Por:
Fernanda Custódio
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário