Café: NY encerra o pregão com novas altas motivadas pela seca no Brasil

Publicado em 11/02/2014 16:36 789 exibições

As operações desta terça-feira (11) com o café arábica na Bolsa de Nova Iorque começaram o dia em alta e assim permaneceram ao longo do pregão. Entre as mínimas e as máximas , uma variação de 300 pontos no vencimento março/14, que confirma a fase de volatilidade que vem passando as cotações.

O mercado ainda busca equilíbrio nos preços, diante das incertezas em relação ao clima no Brasil e as consequências das temperaturas altas e da falta de chuva para produção. Segundo o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - em 2014 o Brasil deverá produzir 2.228.408 toneladas de café arábica, o que equivale a 37,1 milhões de sacas de 60 kg . Em 2013 que foi um ano de baixa produção, o país produziu 2.270.916 toneladas (37,8 milhões de sacas). Ou seja, o perfil de bianualidade mudou e em ano de safra cheia serão 800 mil sacas a menos ou 1,9 % abaixo da safra anterior.

Mas esses números menores para o café arábica ainda não refletem os problemas que a seca pode trazer à produtividade final dos cafezais. Essa baixa é mais em função da redução dos tratos culturais nos cafezais e dos esqueletamentos das lavouras.

A seca ainda provoca um cenário de incerteza sobre a produção. De acordo com levantamento da Fundação Pró café , em Varginha - Sul de Minas , o índice pluviométrico do mês de janeiro de 2014  foi de 47,6 milímetros, volume muito inferior à média histórica para o mês, que é de 281,8 mm. Em Boa Esperança, também no Sul de Minas , as chuvas foram de apenas 46,4 milímetros em janeiro. E diante da situação precária dos cafezais  com reflexos importantes na produção de café no município, a prefeitura de Boa Esperança decretou nesta terça-feira(11) estado de emergência.

Apesar de um fechamento com ganhos relativamente moderados, a razão para mais uma alta nas cotações em Nova Iorque nesta terça-feira (11) voltou a ser a grande preocupação com o clima seco e quente no Brasil, que já causa perdas efetivas para a safra 2014. O vencimento março/14 fechou com alta de 95 pontos cotado a 137,15 centavos de dólar por libra peso. Maio/14  fechou a 139,45 centavos de dólar por libra peso e registrou alta de 100 pontos. 

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário