Balanço semanal do CNC mostra que futuros do arábica acumulam valorização de 5% desde o início do mês

Publicado em 17/04/2014 14:54 e atualizado em 17/04/2014 15:29 393 exibições
Setor cafeeiro deve se atentar à expansão da produção vietnamita no Laos, que pode afetar o equilíbrio futuro entre oferta e demanda

Nesta semana mais curta, o mercado cafeeiro continuou a operar sob forte volatilidade, com tendência à desvalorização nos últimos três dias. Mesmo com a recente queda, os futuros do arábica acumulam valorização de 5% desde o início do mês e de aproximadamente 48% a contar do começo do ano.

Ontem, o vencimento julho (mais negociado) do contrato C da ICE Futures US encerrou a sessão a US$ 1,8885 por libra-peso, acumulando perdas de 1.470 pontos na semana. O clima mais chuvoso no Brasil – embora as precipitações sejam inócuas para a recuperação das perdas da safra 2014 e do comprometimento da produção em 2015 –, o forte movimento de realização de lucros iniciado na última sexta-feira e a valorização do dólar frente ao real foram os principais fatores que influenciaram o comportamento do mercado do café nos últimos três dias.

As posições futuras da variedade robusta negociadas na Liffe, em Londres, seguiram a tendência de Nova York, com o vencimento julho do contrato 409 encerrando a quarta-feira a US$ 2.082 por tonelada e acumulando desvalorização de US$ 60 no agregado da semana.

Os produtores vietnamitas estão apostando na valorização dos preços de suas exportações, conforme comunicado pela Associação de Café e Cacau do país (Vicofa) nesta semana. A projeção da entidade é que essas cotações subam para mais de US$ 2 mil por tonelada nos próximos meses devido à demanda mundial aquecida e às condições climáticas desfavoráveis nos principais fornecedores mundiais. Tais prognósticos, aliados às informações de agências internacionais sobre a expansão da produção vietnamita no Laos, demandam atenção e acompanhamento por parte do setor cafeeiro, já que podem afetar o futuro equilíbrio entre a oferta e a demanda mundiais.

No mercado doméstico brasileiro, a tendência também foi de queda nos preços, com limitação da liquidez. Os indicadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) para os cafés arábica e conilon apresentaram desvalorização de 3,1% e 4%, respectivamente, encerrando a quarta-feira a R$ 444,12 e R$ 249,78 por saca.

O dólar comercial apresentou valorização de aproximadamente 1% ante o real nesta semana, encerrando a quarta-feira a R$ 2,2418. As oscilações do câmbio foram influenciadas, principalmente, pela tensão na Ucrânia, pelo desempenho da economia chinesa e pela sinalização de recuperação econômica nos Estados Unidos.

cnc.JPG

Tags:
Fonte:
CNC

0 comentário