Café: Cotações perdem mais de 100 pontos em sessão volátil em NY

Publicado em 07/05/2014 17:50 562 exibições

O mercado futuro do café arábica na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US) encerrou mais uma sessão com preços em queda nesta quarta-feira (7). Os contratos para entrega mais próxima tiveram quedas acima de 100 pontos. 

O vencimento julho caiu 125 pontos e encerrou em 201,00 centavos de dólar por libra-peso. O setembro fechou em 203,15 cents, depois de uma queda de 130 pontos. Já os contratos para entrega em dezembro encerraram valendo 205,70 cents / libra-peso, com queda de 125 pontos. 

O mercado chegou a operar em alta ao longo do dia, mas um novo movimento de realização de lucros provocou as quedas nas cotações. O contrato julho atingiu os 207,50 cents no período da manhã. Segundo o analista de mercado Nelson Carvalhaes, o mercado foi morno, sem muitas negociações, mas com alta volatilidade. “O mercado chegou a oscilar 750 pontos, o que indica que a volatilidade persiste”. 

O analista afirma ainda que as incertezas quanto ao tamanho da safra brasileira, além da incidência de ferrugem nos países produtores da América Central, devem manter o mercado volátil. 

De acordo com a trader sul-africana I&M Smith, as colheitas de café robusta (conilon) já começaram na Indonésia e a perspectiva também é negativa, já que a safra deve ficar igual ou menor que a do ano passado, com um volume entre 10 a 11,6 milhões de sacas.

Fusão multinacional no setor do café
Agências internacionais informam que duas empresas que lideram o setor do café, as rivais Mondelez (norte-americana) e Douwe Egberts (holandesa), anunciaram uma fusão para criar uma nova empresa especializada, a Jacobs Douwe Egberts.  

O grupo será baseado na Holanda e terá um volume de negócios anual de mais de cinco bilhões de euros (US$ 6,9 bilhões). A empresa pretende competir com a gigante Nestlé, que é hoje a maior comercializadora de café do mundo. 

Torrefadoras se preparam para novas altas para o café 
O atacadista norte-americano Rich Gregory, dono da torrefadora Prescott Coffee Roasters, informou hoje em entrevista ao site The Daily Courier acreditar que o preço do café poderá subir mais US$ 1 por libra-peso em 2016, se a safra mundial for mesmo pequena. Os preços que ele pratica na revenda ainda não subiram, mas ele afirma que em breve deve repassar as altas para seus compradores. A opinião de Gregory representa o sentimento de grande parte dos torrefadores dos Estados Unidos que já observam as altas nos preços do café arábica, que já subiram mais de 90% este ano. 

Tags:
Por:
Fernanda Bellei
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário