Café: mercado em NY sobe forte depois de números da Conab

Publicado em 15/05/2014 10:34 e atualizado em 15/05/2014 11:14 770 exibições

O café arábica negociado na Bolsa de Nova Iorque registra cotações com altas acentuadas na manhã desta quinta-feira(15). Depois de encerrar no vermelho na sessão de ontem, mas trabalhar dentro de margens estreitas de oscilação, o mercado deu os primeiros sinais de que buscava  uma consolidação para os preços. Níveis abaixo de 185 centavos de dólar por libra-peso, inevitalmente atrairiam compradores. E foi o que aconteceu durante a madrugada, quando as cotações voltaram a subir forte e tiveram um repique ainda maior depois que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou seu segundo levantamento para a safra de café no Brasil.  Por volta das 10h40 (Brasília) os contratos com vencimento em julho/2014 operavam a 191,30 centavos de dólar por libra-peso, acréscimo de 710 pontos em relação ao fechamento anterior. Setembro/2014 trbalhava a 193,85 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 740 pontos e o vencimento Dezembro/2014 subia 760 pontos cotado a 197,05 centavos de dólar por libra peso.

Segundo a Conab, a produção nacional de café (arábica e robusta) em 2014 deve ficar em 44,6 milhões de sacas de 60 quilos do produto beneficiado.  O resultado representa uma redução de 9,33% ou 4.585 sacas a menos, se comparado aos 49,15 milhões da safra anterior. Em comparação à média dos intervalos da pesquisa de janeiro, o resultado é de 8,7%  menor. 

A redução foi observada no café arábica, que registra queda de 15,8%, e se deve à forte estiagem verificada nos primeiros meses do ano, à área menor plantada, reflexo do preço da cultura para o produtor, à inversão da bienalidade em algumas regiões, como na Zona da Mata mineira, como também a geadas que atingiram o estado do Paraná em 2013. Já o robusta apresentou aumento de 13,5%, em função da renovação e revigoramento da produtividade e das condições climáticas favoráveis ocorridas sobretudo no estado do Espírito Santo, maior produtor da espécie.

A produção de café arábica foi estimada em 32,2 milhões de sacas e corresponde a 72,3% do volume de café produzido no país e a produção do robusta, chega a 12,3 milhões de sacas, representa 27,7% do total nacional. 

O mercado internacional começa a enxergar uma recuperação nos preços do café em curto prazo. Ontem o site norte-americano do The Wall Street Journal informou que os estoques de café estão se esgotando e a libra-peso poderá atingir os US$ 3,00 ainda este ano. 

De acordo com o Wall Street Journal muitos produtores e comercializadores brasileiros correram para vender parte do café que tinham estocado no ano passado para aproveitar os preços mais altos. Estas exportações, que atingiram os maiores volumes em pelo menos 5 anos para o período, vieram quase todas dos estoques, já que os produtores só começaram a colheita precoce deste ano no final de abril. 

Analistas do mercado internacional também acreditam que o Brasil terá dificuldades de acompanhar o ritmo rápido das importações depois que os produtores esgotarem seus estoques. Produtores e traders devem vender a maior parte de seus estoques em uma questão de meses, enquanto a seca registrada no início do ano deverá comprometer a produção não apenas da próxima safra, mas também dos próximos anos. 

Uma queda na qualidade e volume da safra brasileira poderá elevar os preços a US$ 3,00 a libra-peso ainda este ano, segundo a analista de mercado Judy Ganes, presidente da J. Ganes Consulting LLC. “A qualidade da safra será terrível... Não teremos café suficiente para compensar isso”, afirmou a analista. 

A seca atingiu os cafezais do país justamente em um momento em que os produtores estavam cultivando um grande número de plantas mais jovens, que são mais vulneráveis. 

A OIC (Organização Internacional do Café) informou que o mercado poderá passar por um déficit de oferta em 2014/15, já que não serão produzidos cafés em quantidade suficiente para atender a demanda. Os investidores deste mercado, avaliado em US$ 11,2 bilhões, já estão se preparando para a falta de oferta neste ano e no próximo. 

 

 

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas

1 comentário

  • egmar passaão Vieira Machado - ES

    gostaria de saber se é o momento oportuno para veneder café nesse momento e estou gostando das informaçoes att

    0