Café: NY fecha com leves quedas, após registrar alta de 580 pts no dia anterior

Publicado em 26/06/2014 17:24 359 exibições

O mercado de café arábica segue bastante volátil. O fechamento desta quinta-feira (26) registrou leves quedas na Bolsa de Nova Iorque (Ice futures US), após forte ascensão no dia anterior de 580 pontos para os principais contratos. 

O vencimento julho encerrou em 178,80 centavos de dólar por libra/peso com queda de 115 pontos. Há cerca de um mês, os índices para esse contrato se aproximam do patamar de 180, mas não conseguem alcançar o valor. “Esse cenário reflete um ‘bate-bola’ dos fundos e de especuladores que aproveitam as altas para vender e garantir lucros nas negociações. Logo as baixas aparecem, por conta disso também”, explicou Anselmo Magno de Paula, gerente do departamento de café da Cocapec (Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas de Franca-SP).

Os contratos para entrega em setembro registraram decréscimo de 120 pontos para 180,85 cents/libra-peso. Dezembro anotou 184,35 cents/libra-peso, enquanto março/2015 desceu 130 pontos para 187,40 centavos/libra-peso. 

Quebra na colheita brasileira
A volatilidade do mercado de café arábica se deve também pelas incertezas quanto ao tamanho da safra brasileira. Segundo pesquisa realizada pelo site Notícias Agrícolas entres as principais cooperativas do Brasil, a maioria das regiões terá quebra na produção.

A Coopinhal (Cooperativa dos Cafeicultores da Região do Espírito Santo do Pinhal) que contém cerca de 500 associados e abrange 8 municípios – terá queda de 30 a 40% na produção estimada, que era de 115 a 125 mil sacas, mas que pela demanda não deve passar de 80 a 90 mil. 

A equipe da Cocatrel estima uma perda entre 20% a 30%. “As regiões mais atingidas são aquelas às margens de Furnas, em municípios como Boa Esperança, Guapé e Campos Gerais”, explicou Fernando Miranda, presidente da cooperativa. 

O rendimento do café colhido na região da Cooparaíso (Cooperativa Regional dos Cafeicultores de São Sebastião do Paraíso) também está bem abaixo do normal, de acordo com o engenheiro agrônomo da cooperativa, Marcelo de Moura Almeida. “Nas lavouras velhas, estão sendo necessários entre 600 a 750 litros para encher uma saca... Já nas lavouras mais novas, estamos precisando entre 900 até 1.100 litros, em alguns casos”.   

“As baixas no sul de Minas devem chegar a 30%, no cerrado talvez um pouco menos”, projetou Carlos Paulino, presidente da Cooxupé – maior cooperativa cafeeira do mundo, que também declarou: “Os cafés estão chochos, parecendo isopor de tão leves”.

A estimativa inicial da Coopemar era de 100.000 sacas, mas com os defeitos apresentados nos grãos e a maior quantidade utilizada para conseguir uma saca beneficiada, esse número deve descer para cerca de 80.000 sacas. 

Apesar das baixas nas diferentes regiões do país, a Cocapec (Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas de Franca-SP) comemora uma safra boa.  “nós esperávamos uma quebra superior a 10%, mas com o andamento da colheita que está adiantada e registra cerca de 25% já concluída, analisamos que não teremos queda tão alta na produção, deve ficar inferior a esses 10% estimados”, projetou Anselmo Magno. 

Qualidade do café
A estiagem que afetou as plantações de café no início do ano e prejudicou muitas safras brasileiras segue influenciando os cafezais. Porém, a falta de chuvas e dias relativamente quentes apesar da chegada do inverno tem contribuído de maneira positiva desta vez para manter a qualidade do grão. 

Tags:
Por:
Talita Benegra
Fonte:
Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Samuel Henrique Fornari São José do Rio Pardo - SP

    Realmente um caso a se estudar essa quebra de Franca, estamos a 160 Km de Franca ( em linha reta nem isso) e as perdas aqui são até maiores que os relatos que tenho visto na maioria das regiões...Será que la choveu muito mais que por aqui? será que existe muito mais café irrigado por la? Aqui ontem um colega relatou quebra de mais de 20% na renda em café irrigado que recebeu 250mm adicionais de água aproximadamente, ou seja, parece que nem água justificaria, solo talvez, realmente não sei...

    0
  • joaquim augusto ribeiro do vale junior Santa Rita do Sapucaí - MG

    Sera que na regiao de Franca,a produçao de cafe esta acontecendo algum milagre?Estranho,nao acham,a quebra de safra ser inferior a 10%?Ou sera que alguma exportadora possui "FAZENDA de CAFE" por la???Fico surpreso porque ate onde estou sabendo a seca afetou toda a regiao sudeste,porem com menos intensidade somente a regiao do cerrado mineiro!

    0