Café: manhã de perdas em NY, arábica desce até 360 pontos

Publicado em 21/07/2014 09:36 338 exibições

Após uma sexta-feira (18) de grandes altas na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US), o mercado de café arábica desce até 360 pontos na manhã desta segunda-feira (21). O vencimento setembro trabalha às 9h21 (horário de Brasília) a 168,85 centavos de dólar por libra-peso. Os contratos com entrega para dezembro valem 172,65 cents/libra-peso. Março/2015 perde 290 pontos e anota 176,75 cents/libra-peso e maio/2015 registra 179,15 centavos/libra-peso. 

Segundo analistas essa volatilidade deve continuar ainda este mês por conta das férias de verão nos Estados Unidos. Porém, indicam que a tendência para agosto é de preços mais altos, já que a colheita brasileira segue avançada com estimativa de grande quebra, além dos estoques que estão baixos e devem diminuir mais. 

Veja como fechou a sessão de sexta-feira: 

Café: informações sobre safra 2014 apóiam altas de 855 pontos em NY

Seguindo as tendências altistas de muitos analistas, as cotações do café arábica “estouraram” na sessão desta sexta-feira (18) na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US). Os preços subiram cerca de 855 pontos para os contratos mais negociados. 

O vencimento setembro encerrou acima do patamar de 170,00 em 172,40 centavos de dólar por libra-peso. Dezembro anotou 176,25 cents/libra-peso. Março/2015 fechou em 179,65 cents/libra-peso, enquanto maio/2015 registrou 181,85 centavos/libra-peso.

Este panorama já era previsto em muitas análises e deve ter sido impulsionado por informações divulgadas na mídia brasileira sobre a real quebra na safra 2014. 

Segundo o presidente da Assul – Associação dos Sindicatos dos Produtores Rurais do Sul de Minas Gerais – “a quebra é assustadora. Aquelas previsões e estudos que foram divulgados antecipadamente devem tem números menores, ou no máximo iguais”. 

O superintendente comercial da Cooxupé – maior cooperativa de café do mundo – Lúcio Dias, também demonstra preocupação quanto ao volume da safra nacional. “É difícil neste momento quantificar, mas posso adiantar que ainda estão gastando muitos litros de café para encher uma saca. E os números que falavam de quebra entre 23 a 25% na região podem ser ainda maiores, em cerca de 30%”, relatou ele.

Carlos Paulino, presidente da Cooxupé, atentou para a atual falta de alguns tipos de café para negociações futuras na cooperativa e Lúcio Dias reiterou que o Brasil pode perder clientes importantes no Leste Europeu por carência de café Rio. “Várias qualidades já sumiram do mercado como o café Rio, o cereja descascada e os de peneiras 17 e 18 de diversas qualidades”, explicou o superintendente. 

Safra 2015 também é preocupante
Outra inquietação que ronda o mercado é a florada para a safra 2015. Com o avanço da colheita de 2014, os olhares se voltam para a próxima produção. 

“O Brasil precisa de 50 a 52 milhões de sacas de 60 quilos de café para exportar e atender a demanda interna. A produção deste ano, segundo previsões, vai girar em torno de 46 a 48 milhões de sacas, ou seja, não vai ser suficiente. Vamos ter que consumir os estoques. O ano de 2015 já vai entrar com estoques mais baixos”, detalhou Carlos Paulino e Lúcio Dias concluiu: “o potencial de produção 2015 é muito preocupante”. 

Tags:
Por:
Talita Benegra
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário