Café: Após queda expressiva na sessão anterior, cotações do arábica registram leve alta em NY

Publicado em 03/12/2014 09:47 e atualizado em 03/12/2014 13:47 98 exibições

As cotações do café arábica operam com leve alta na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) na manhã desta quarta-feira (3) após registrar queda expressiva na sessão anterior. Por volta das 12h02, o contrato março/15 registrava alta de 120 pontos cotado a 184,60 cents/lb, o maio/15 anotava 187,20 cents/lb com avanço de 130 pontos e o julho/15 tinha 189,90 cents/lb com valorização de 160 pontos. O vencimento dezembro/15 não havia aberto os negócios.

Segundo o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, a bolsa norte-americana opera em alta em consolidação ao atual espaço de trabalho após a queda de ontem. O mercado interno deve ter mais um dia lento e com preços buscando sustentação.

De acordo com o agrometeorologista da Somar Meteorologia, Marco Antônio dos Santos, o mês de dezembro deve registrar chuvas acima da média na região Centro Sul do país com maior concentração na primeira quinzena. No entanto, segundo mapas climáticos, nesta semana não há possibilidade de chuvas em níveis elevados na Região Sudeste, apesar da chegada de uma frente fria a partir de quinta-feira (4).

» Clique e veja as cotações completas de café.

Veja como fechou o mercado na terça-feira:

Café: NY registra forte queda nesta 3ª feira e mercado mostra que questão climática ainda pesa

Por Jhonatas Simião

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica encerrou esta terça-feira (2) com queda expressiva de mais de 700 pontos nos principais contratos. O vencimento dezembro/14 registrou 182,30 cents de dólar por libra peso com queda de 705 pontos, o março/15 anotou 183,40 cents/lb com desvalorização de 700 pontos, o maio/15 teve 185,90 cents/lb também com recuo de 700 pontos e o julho/15 encerrou a sessão cotado a 188,30 cents/lb com 695 pontos negativos.

Segundo o consultor da Safras & Mercado, Gil Carlos Barabach, as chuvas registradas no Brasil nos últimos pressionaram a baixa na sessão de hoje. No entanto, o mercado está sem sustentação. “Essa queda acentuada reflete as condições climáticas no País. Mas a demanda fraca também exerceu pressão sobre os preços”, diz o analista.

De acordo com informação reportada pela Reuters nesta terça-feira com base no relatório do Rabobank, a produção mundial de café atingirá 144,4 milhões de sacas de 60 kg na temporada 2014/15 (outubro/setembro), um aumento de 1,5% o ciclo anterior, mas o mercado está a caminho de um segundo ano consecutivo de déficit na oferta, sinalizando preços mais elevados.

» Preços do café devem subir com déficit no mercado global, diz Rabobank

Já de acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, após as surpreendentes volatilidades presenciadas no final do pregão de ontem, baseada em notícias vindas da Cooxupé, o mercado assimilou as informações e adotou postura defensiva em realizações de lucros na sessão de hoje. “A grande verdade é que o mercado já precificou as variáveis disponíveis e ao que parece dificilmente em 2014 haverá espaço para grosseiras volatilidades seja no lado positivo ou negativo”, afirma.

Na sessão anterior, o mercado fechou em baixa após virada no final da sessão. Os investidores acreditavam que as chuvas volumosas que caíram na semana passada em várias cidades produtoras teriam forças para reverter a situação das lavouras e gerar produtividade regular em 2015/16.

De acordo com o agrometeorologista da Somar Meteorologia, Marco Antônio dos Santos, o mês de dezembro deve registrar chuvas acima da média na região Centro Sul do país com maior concentração na primeira quinzena. No entanto, segundo mapas climáticos, nesta semana não há possibilidade de chuvas em níveis elevados na Região Sudeste, apesar da chegada de uma frente fria a partir de quinta-feira (4).

» Dezembro deve registrar chuvas acima da média na região Centro Sul do país com maior concentração na primeira quinzena

Mercado interno

Segundo Marcus Magalhães, a maior parte do setor produtivo já deu como encerrada a participação nos negócios em 2014 e assim, independente de dólar ou bolsa, dificilmente haverá aumento de liquidez nas praças de comercialização até 2015.

O tipo cereja descascado teve maior variação na cidade Franca-SP, onde a saca está cotada a R$ 570,00 e teve queda de 1,72%. A localidade também teve o maior valor de negociação.

O tipo 4/5 de café arábica anotou maior valor na cidade de Guaxupé-MG, mesmo com queda de 1,44% e a saca está cotada a R$ 547,00. O município que apresentou maior variação no dia foi Franca-SP com queda de 2,00% e a saca está cotada a R$ 490,00.

O tipo 6 duro anotou maior valor em Guaxupé-MG com R$ 494,00 a saca e queda de 1,59%. A cidade com variação mais expressiva no dia para o tipo foi Patrocínio-MG com queda de 4,08%, o valor de negociação é de R$ 470,00.

Na segunda-feira (1º), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou alta de 1,55% e está cotado a R$ 455,46 a saca de 60 kg.

» Clique e veja as cotações do mercado interno nesta terça-feira (2).

Tipo 4/5 fecha no campo negativo na Bovespa

As cotações do café arábica tipo 4/5 encerraram em baixa na BM&F Bovespa. O vencimento dezembro/14 encerrou o dia com US$ 223,10 a saca de 60 kg e queda de 1,06%, o março/15 anotou US$ 223,00 e desvalorização de 3,00% e o setembro/15 está cotado a US$ 231,25 a saca com 0,11% de baixa. Para o tipo 6/7 foi mais um dia sem negócios.

Liffe registra forte queda em Londres

As cotações do café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) ficaram no campo negativo nesta terça-feira. O contrato janeiro/15 está cotado a US$ 2033,00 por tonelada com queda de US$ 30, o março/15 teve US$ 2043,00 por tonelada e recuo de US$ 23 e o maio/15 anotou US$ 2057,00 por tonelada e baixa de US$ 22.

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • walter mora San Jose/Costa Rica - CR

    Don Jose usted tiene toda la razon la cosecha de arabica de Brasl para el proximo año tendra una merma dl 50% la planta se va vestir como primer medida de estres y producira pero relativamente poco talves el 50% sea mucho... si estiman 17 millones de robusta y normalmente 40 millones de arabica para un total de 57 millones en condiciones normales yo pensaria que llendole muy bien a Brasil llegaria a un maximo de 14 a 17 millones de robusta y 18 a 20 millones de arabica para un total 2015 de 32 a 37 millones ... cafe va faltar lo sigo repitiendo....saludos cafetaleros del mundo productor..2015 sera un gran año...

    0