Café: NY opera no campo positivo com recompras nesta 5ª feira após queda de mais de 500 pts na sessão de ontem

Publicado em 18/12/2014 09:32 e atualizado em 18/12/2014 12:08 105 exibições

As cotações do café arábica operam com leve alta na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) nesta quinta-feira (18) . Por volta das 13h08, o contrato março/15 registrava valorização de 45 pontos cotado a 172,30 cents/lb, o maio/15 anotava 175,00 cents/lb com 55 pontos positivos e o julho/15 tinha 40 pontos de avanço com 177,25 cents/lb.

De acordo com o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, o mercado externo registra alta nesta quinta com recompras de posições devido a forte queda na sessão de ontem quando as cotações despencaram mais de 500 pontos com a divulgação de estimativas otimistas da Volcafe e do USDA para a safra 2015/16.

No mercado interno, os negócios são fracos. De acordo com divulgação do Cepea, os preços dos cafés vêm oscilando no físico brasileiro nos últimos meses, o que tem deixado o mercado praticamente parado para as duas variedades (arábica e robusta). Além disso, produtores aguardam a entrada de 2015 e a possibilidade de novas valorizações para voltar a negociar.

» Café: Indefinição dos preços trava mercado neste final de ano

» Clique e veja as cotações completas de café.

Veja como fechou o mercado na quarta-feira:

Café: Cotações do arábica despencam mais de 500 pts na Bolsa de NY nesta 4ª feira com estimativas otimistas para safra 2015

Por Jhonatas Simião

A Bolsa de Nova York (ICE Futures US) para o café arábica registrou queda de mais de 500 pontos nos principais contratos nesta quarta-feira (17), mantendo a trajetória de perdas registrada nas últimas sessões. As posições já tem preços próximos dos US$ 1,70.

O vencimento dezembro/14 encerrou o dia cotado a 170,85 cents de dólar por libra peso e o março/15 anotou 171,85 cents/lb, ambos com queda de 585 pontos. O vencimento maio/15 teve 174,45 cents/lb com recuo de 575 pontos e julho/15 fechou a sessão com 176,85 cents/lb e 560 pontos negativos.

Pela manhã, as cotações já estavam no campo negativo com leve queda ampliando as perdas da sessão anterior e a questão cambial influenciando os operadores após o dólar registrar preço recorde na sessão de ontem (2,7355 reais na venda). O dólar valorizado ante o real incentiva as exportações brasileiras, adicionando ainda mais pressão às negociações.

De acordo com o analista de mercado de café, João Santaella, as divulgações da Volcafe e do USDA fizeram com que o mercado despencasse mais de 500 pontos. “Os traders e investidores não esperavam esses números tão altos e dessa forma as cotações caíram”, afirma.

» Preços despencam em NY com novas estimativas apontando para um produção próxima de 50 milhões de sacas em 2015 no Brasil

A Volcafe, divisão de commodities da ED&F Man divulgou nesta quarta-feira estimativa de produção para a safra 2015/16 de café. De acordo com a empresa, o Brasil vai colher 49,5 milhões de sacas de 60 kg na próxima temporada.

» Café: Volcafe estima safra 2015 do Brasil em 49,5 milhões de sacas e cotações em Nova York despencam

Já o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) revisou para cima a safra mundial de café 2014/15 com um incremento de 1,9 milhões de sacas. Com essa revisão a colheita na próxima temporada pode chegar a 150,6 milhões de sacas.

» Café: USDA revisa para cima safra mundial 2014/15

Segundo cafeicultores ouvidos pelo Notícias Agrícolas, as estimativas não correspondem a realidade das lavouras. Quase todo o cinturão produtivo sofreu com baixo nível de chuvas durante o ano e elevadas temperaturas que chegaram a atrasar a florada dos cafezais.

Mercado interno

Os preços no lado interno tiveram oscilação nesta quarta-feira influenciados pela forte queda na Bolsa de Nova York. Ainda assim poucos negócios são realizados com a proximidade do final do ano.

O tipo cereja descascado teve maior variação na cidade de Guaxupé-MG, onde a saca está cotada a R$ 557,00 e teve queda de 3,47%. A cidade também tem o maior valor de negociação dentre as praças de comercialização no dia.

Para o tipo 4/5, a cidade com maior valor de negociação também foi Guaxupé-MG que tem saca cotada a R$ 546,00 e teve queda de 3,53% em relação ao dia anterior. A localidade também teve a maior oscilação no dia.

O tipo 6 duro anotou maior valor em Guaxupé-MG com R$ 493,00 a saca e queda de 3,90%. O município com variação mais expressiva no dia foi Marília-SP com desvalorização de 8,70% e saca cotada a R$ 420,00.

Na terça-feira (16), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 registrou baixa de 0,28% e está cotado a R$ 453,18 a saca de 60 kg.

» Clique e veja as cotações do mercado interno nesta quarta-feira (17).

Tipo 4/5 registra baixa na Bovespa

As cotações do café arábica tipo 4/5 tiveram mais um dia de queda na BM&F Bovespa. O vencimento março/15 registrou US$ 208,30 com recuo de 3,07% e o setembro/15 fechou o dia com queda de 2,70% cotado a US$ 216,00.

Liffe também fecha com queda

As cotações do café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) também fecharam no vermelho nesta quarta-feira. O contrato janeiro/15 está cotado a US$ 1911,00 por tonelada com desvalorização de US$ 26, o março/15 teve US$ 1942,00 por tonelada e recuo de US$ 22 e o maio/15 anotou US$ 1961,00 por tonelada com baixa de US$ 20.

Tags:
Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário