CNC: Apesar da desvalorização do dólar, futuros do café arábica acumularam queda nos últimos dias

Publicado em 12/08/2016 11:50
78 exibições

PROMOÇÃO NA OLIMPÍADA — Desde o último sábado, 6 de agosto, a Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) – associada ao CNC –, em parceria com a Apex-Brasil e o Sebrae Nacional, iniciou um excelente serviço de promoção dos cafés brasileiros durante a Olimpíada e a Paralimpíada Rio 2016. No Espaço Arte do Café, da Casa Brasil, vêm sendo realizadas sessões de apresentação dos frutos de diversas origens produtoras do País e de degustação dos produtos apresentados.

O Conselho Nacional do Café enaltece a iniciativa de nossa associada, haja vista que é realizada com grande profissionalismo e tem obtido grande êxito junto ao público mundial presente no Rio de Janeiro em função dos Jogos Olímpicos. A ação é fundamental para aproximar grandes formadores de opinião de todo o planeta, como os jornalistas, para que levem e compartilhem as opiniões sobre a sustentabilidade com que é produzido o café no Brasil e, em especial, divulguem a excelência em qualidade de nossos produtos.

Na quarta-feira, 10 de agosto, por exemplo, através de coordenação da Secom da Presidência da República, um grupo de 15 jornalistas internacionais visitou o Espaço Arte do Café para se informarem sobre os processos de produção no Brasil, com foco nas sustentabilidades ambiental, social e econômica, e puderam degustar a bebida, saindo muito impressionados e satisfeitos com o que viram, ouviram e provaram.

Para os interessados, os trabalhos ocorrerão até o dia 18 de setembro, no Espaço Arte do Café, na Casa Brasil – ao lado do Museu do Amanhã –, situada no Píer Mauá, (Av. Rodrigues Alves, n° 10, Centro, Rio de Janeiro/RJ).

MERCADO — Apesar da desvalorização do dólar, os futuros do café arábica acumularam queda nos últimos dias, em meio às rolagens de posição para o vencimento dezembro do Contrato C, negociado na Bolsa de Nova York.

Ontem, a divisa norte-americana foi cotada no Brasil a R$ 3,14, acumulando queda de 0,92% na comparação com a cotação de R$ 3,1691 de sexta-feira passada. A expectativa de maior entrada de capital externo no País, devido ao cenário político, favoreceu essa tendência.

Na ICE Futures US, o vencimento setembro do Contrato C foi cotado, na quinta-feira, a US$ 1,377 por libra-peso, perdendo 480 pontos em relação ao fechamento da semana anterior. Os negócios se concentraram nas rolagens de posição, dada a proximidade do período de notificação de entrega do primeiro vencimento, que se inicia em 23 de agosto. Na ICE Futures Europe, o vencimento setembro do contrato futuro do robusta encerrou o pregão de ontem a US$ 1.808 por tonelada, com desvalorização US$ 15 em relação à última sexta-feira.

No mercado físico nacional, os negócios seguiram lentos, com produtores retraindo a oferta e o foco nas operações de colheita. Ontem, os indicadores calculados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) para as variedades arábica e conilon foram cotados a R$ 466,18/saca e a R$ 423,93/saca, respectivamente, com variações de -3,80% e +0,63% em relação ao fechamento da semana anterior.

O Cepea também informou que as primeiras floradas da safra 2017/18 de café conilon foram observadas no início de agosto, no Espírito Santo e em Rondônia, quase um mês adiantadas em relação à temporada passada. A ocorrência de chuvas nas próximas semanas será fundamental para garantir o pegamento dessas flores. Porém, mesmo que esse cenário se concretize, no Espírito Santo a produção deverá novamente ficar abaixo do potencial, já que o parque cafeeiro foi debilitado pelo longo período de clima quente e seco.

ffa4c4d7-2477-4ad7-b711-660d47da93ec.jpg

Fonte: CNC

Nenhum comentário