Café: Em ajustes, Bolsa de Nova York vira e passa a registrar alta de cerca de 100 pts nesta tarde de 6ª

Publicado em 07/10/2016 12:33
100 exibições

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) viraram após a queda pela manhã e registram ganhos de cerca de 100 pontos nesta tarde de sexta-feira (7). O mercado realiza ajustes técnicos, mas também segue atento às incertezas sobre a safra 2017/18 do Brasil. Com esse avanço, os preços externos do grão já voltam a operar acima de US$ 1,50 por libra-peso.

Pelo horário de Brasília, às 12h18, o vencimento dezembro/16 estava cotado a 147,40 cents/lb com alta de 100 pontos, o março/17 registrava 150,65 cents/lb com avanço de 90 pontos. Já o contrato maio/17 estava sendo negociado a 152,55 cents/lb com 85 pontos de avanço e o julho/17, mais distante, subia 125 pontos cotado a 154,70 cents/lb.

Para o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães, apesar da alta, os preços externos do arábica na Bolsa de Nova York caminham sem direcionamento. "As bolsas para o café operam lateralizadas e sem indicar pega especulativa. Leves altas são vistas no mercado", explica. Na véspera, os futuros do arábica caíram cerca de 200 pontos e ajustes são realizados nesta sexta-feira.

Áreas de café das principais origens produtoras do Brasil receberam bons volumes de chuva no início da semana, o que fez com que os preços no terminal externo recuassem, pois havia a expectativa dentre os operadores de que a condição das lavouras para a próxima temporada seria melhor. No entanto, a preocupação com a próxima temporada voltou a tomar conta do mercado já na quarta-feira, segundo reportam agências internacionais.

"Algumas previsões de chuva nas áreas de café do Brasil criaram nesta semana um interesse maior pelas vendas com ideias de que a floração pode começar agora com essas melhores condições climáticas. No entanto, as chuvas devem deixar áreas de cultivo do Brasil hoje e o tempo seco deve voltar", explicou em seu informativo o analista de mercado e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville.

A Zona da Mata de Minas Gerais já recebeu a principal florada da safra 2017/18. Os produtores da localidade estão animados e afirmam que a produção tem saúde e condições de dar um bom retorno no próximo ano. Ainda assim, a maior parte das regiões produtoras do país ainda não tiveram a principal florada..

Segundo mapas climáticos, áreas produtoras de café do Espírito Santo, Leste de Minas Gerais e Sul da Bahia deve receber chuvas mais intensas nos próximos dias. Em outras localidades, a chuva não para completamente, mas torna-se bem mais fraca e dispersa. Na sexta-feira, o clima seco volta a predominar na maior parte das áreas produtoras do país.

Nas praças de comercialização do Brasil, os negócios com café seguem isolados.  O produtor prefere aguardar melhores patamares para voltar a ofertar mais ativamente sua produção. Na quinta-feira (6), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 492,05 e desvalorização de 0,95%.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário