Café: Bolsa de Nova York opera em alta nesta manhã de 5ª feira e volta a se aproximar de US$ 1,60/lb

Publicado em 13/10/2016 09:48 e atualizado em 13/10/2016 12:09
95 exibições

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam em alta nesta manhã de quinta-feira (13) e estendem os ganhos registrados na véspera com os operadores no mercado externo ainda atentos ao clima no cinturão produtivo do Brasil. Com essa alta, os preços externos do grão já voltam a ficar mais próximos do patamar de US$ 1,60 por libra-peso.

Pelo horário de Brasília, às 09h34, o vencimento dezembro/16 estava cotado a 153,55 cents/lb com alta de 145 pontos, o março/17 registrava 156,95 cents/lb com avanço de 140 pontos. Já o contrato maio/17 estava sendo negociado a 159,05 cents/lb também com 140 pontos positivos e o julho/17, mais distante, subia 100 pontos, cotado a 160,50 cents/lb.

» Clique e veja as cotações completas de café

Veja como fechou o mercado na quarta-feira:

Café: Bolsa de Nova York registra ganhos acima de 100 pontos nesta 4ª feira e se aproxima do patamar de US$ 1,60 por libra-peso

Por Sandy Quintans

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram com altas nesta quarta-feira (12). O mercado devolveu parte das perdas da última sessão, refletindo o cenário de atenção ao clima no cinturão produtivo do Brasil, que é o principal exportador da commodity. 

Diante das altas, os lotes com vencimento dezembro/16 encerrou o dia com valorização de 130 pontos e negociado a 152,10 cents/lb. Março/17 fechou cotado a 155,55 cents/lb com ganhos de 135 pontos, assim como maio/17 que encerra valendo 157,65 cents/lb. Já o contrato julho/17 subiu 130 pontos, com negociação a 159,60 cents/lb. 

Com isso, os principais vencimentos voltam a se aproximar do patamar de US$ 1,60 por libra-peso, após as perdas da última sessão. O o analista de mercado e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville, aponta em seu boletim que a valorização do dólar ante o real têm influenciado as cotações em Nova York. 

Além disto, o mercado está atento ao cenário climático nas regiões produtoras, com expectativas em relação a florada, que tem impacto na produtividade da Safra 2017/18 de café. "Relatórios de chuvas na semana passada em Minas Gerais e algumas precipitações no Espírito Santo deram esperança para boa floração este ano", explica.

Por outro lado, mapas meteorológicos apontam que nos próximos dias, as chuvas devem cessar em grande parte do cinturão produtivo, além de atingir temperaturas elevadas. Com isso, as chances para o desenvolvimento das floradas são reduzidas, visto que as chuvas poderiam induzir.

O mercado esperava que a principal ocorrência deveria acontecer na última semana, o que acabou não se confirmando em todas as regiões. Vale ressaltar, que até o momento apenas a Zona da Mata de Minas registrou a principal florada, com produtores animados para o desenvolvimento da safra. 

Scoville também aponta que a demanda por café está aquecida no mundo. No Brasil, torrefadoras estão à procura de grãos de baixa qualidade do arábica para substituir o robusta - que enfrentou quebra na produção em decorrência do clima. 

No Brasil, o dia foi de feriado de Nossa Senhora da Aparecida, por isso, não houve negociações nas principais praças de comercialização. Na terça-feira, o dólar comercial fechou cotado a R$ 3,2273, no menor patamar de fechamento desde 16 de agosto.

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário