Cafeicultores ganham tão pouco que em breve fornecimento pode ser impactado, diz executivo da OIC

Publicado em 05/10/2017 15:05 2858 exibições

LOGO nalogo

Para José Sette, diretor executivo da OIC (Organização Internacional do Café), cafeicultores ao redor do mundo têm ganhado tão pouco com a produção de café que, muito provavelmente, poderão abandornar suas lavouras colocando em risco o abastecimento futuro em um momento de demanda crescente no mercado. A declaração do executivo foi feita à agência de notícias Reuters em Conselho Internacional na Costa do Marfim.

"Se os agricultores não são bem remunerados e incentivados a plantar café, então, em algum momento do futuro, podemos ter dificuldades em obter a quantidade de café que precisamos, porque a demanda está crescendo de forma constante", disse Sette.

De acordo com o executivo os baixos ganhos dos envolvidos do setor têm reduzido a oferta do grão no mercado. Enquanto que a demanda cresce cerca de 2% ao ano com aumento importante no consumo dos mercados emergentes. "Nós não temos a mesma confiança de que teremos oferta para continuar", disse. "Então os produtores precisam estar convencidos de que vale a pena sua paciência", pondera Sette levando em conta que são necessários investimentos de longo prazo na produção do grão.

O Rabobank, um dos maiores bancos especializados em commodities do mundo, estimou no mês passado um déficit global de café em 2017/2018 de 6,1 milhões de sacas em meio ao aumento da demanda, e os sinais de estreitamento da oferta são evidentes no Brasil, que é o maior produtor de café do mundo, e onde os estoques caíram acentuadamente.

"Muitas vezes, especialmente nos países consumidores, há uma grande ênfase em... sustentabilidade ambiental... mas não há ênfase correspondente na sustentabilidade econômica", disse o executivo da OIC.

Com informações da agência de notícias Reuters

Por:
Jhonatas Simião
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário