Café: Cotações do arábica reagem sobem mais de 200 pts nesta tarde de 3ª feira na Bolsa de Nova York

Publicado em 13/03/2018 12:33 e atualizado em 22/03/2018 14:36
211 exibições

LOGO nalogo

Os futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) reagem tecnicamente nesta tarde de terça-feira (13) e cerca de 250 pontos. Depois de quatro sessões seguidas de queda, o mercado externo do grão volta a subir em mais uma demonstração de força técnica e já trabalha acima do patamar de US$ 1,20 por libra-peso nos principais vencimentos.

Por volta das 12h20 (horário de Brasília), o contrato maio/18 subia 245 pontos, a 121,90 cents/lb. Já o vencimento julho/18 trabalhava com avanço de 240 pontos, a 124,10 cents/lb, e o setembro/18 tinha valorização de 240 pontos, cotado a 126,30 cents/lb.

Depois de quatro quedas seguidas, com  pressão do câmbio, informações sobre a safra 2018/19 do Brasil e fatores técnicos, o mercado externo do café arábica voltou a subir nesta tarde de terça-feira e os principais vencimentos já se consolidam acima do patamar de US$ 1,20/lb em mais uma demonstração de força técnica. As altas são de cerca de 250 pontos.

Para o analista de mercado da Price Futures Group, Jack Scoville, a ICE trabalhava nos últimos dias sem novidades e à procura de novas notícias que pudessem modificar a trajetória dos preços. "Os indicadores gráficos apresentam uma tendência de lado por enquanto em Nova York e especuladores continuam muito vendidos, mas estão começando a reduzir parte dessas posições", disse o especialista em informativo na segunda-feira.

O Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil) informou na sexta-feira que as exportações de café no país totalizaram 2,35 milhões de sacas em fevereiro, com receita cambial chegando a US$ 377.240 mil. Uma queda de cerca de 9% no volume embarcado em relação ao período do ano anterior.

"Os resultados deste mês estão dentro do previsto, com exportações mais modestas, porém preservando a grande participação do Brasil nas exportações de café do mercado mundial. Temos que levar em conta que fevereiro foi um mês mais curto, o que inevitavelmente afeta as exportações. Nossa expectativa é de que o mercado siga se comportando neste ritmo até a entrada da nova safra, em julho, quando estimamos um possível incremento nas exportações", afirma o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

No Brasil, no último fechamento, o tipo 6 duro era negociado a R$ 420,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP), em Guaxupé (MG) os preços estavam cotados a R$ 440,00 a saca e em Poços de Caldas (MG) estavam valendo R$ 442,00 a saca.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário