Café: Bolsa de NY recua mais de 50 pts nesta tarde de 3ª ainda pressionada com informações do Brasil

Publicado em 17/04/2018 12:26
120 exibições

LOGO nalogo

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com queda próxima de 50 pontos nesta tarde de terça-feira (17). O mercado externo do grão segue pressionado por indicadores técnicos, mas também é impactado por novas informações mais otimistas sobre a safra 2018/19 do Brasil. Essa é a quarta baixa seguida.

Por volta das 12h18 (horário de Brasília), o contrato maio/18 trabalhava com baixa de 60 pontos, a 113,65 cents/lb e o julho/18 anotava 115,90 cents/lb com recuo de 65 pontos. Já o vencimento setembro/18 trabalhava com desvalorização de 50 pontos, cotado a 118,15 cents/lb, e o dezembro/18 tinha 45 pontos de queda, cotado a 121,70 cents/lb.

Já na véspera o mercado do arábica passou a repercutir com mais força informações sobre a safra brasileira. Em divulgação recente, a consultoria Safras & Mercado estimou que a produção de café na safra 2018/19 pode totalizar um recorde de até 60,5 milhões de sacas de 60 kg. O volume representaria um aumento de até 20% ante a temporada 2017/18, apontada em 50,6 milhões de sacas.

Fatores técnicos também ainda permeiam o mercado e agências internacionais reportam que uma mudança de cenário seria muito difícil no curto e médio-prazo. "Um evento climático é o que precisamos para que os mercados de açúcar e café decole. Sem isso, os preços provavelmente ficarão estáveis ou mais baixos", disse um trader à Reuters internacional.

A última previsão da Conab (Companhia Nacional do Abastecimento) prevê a safra de café do Brasil entre 54,44 e 58,51 milhões de sacas neste ano.

No Brasil, no último fechamento, o tipo 6 duro era negociado a R$ 430,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP), em Guaxupé (MG) os preços estavam cotados a R$ 438,00 a saca e em Poços de Caldas (MG) estavam valendo R$ 430,00 a saca.

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário